quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Matéria Especial: Ultraman Leo


A franquia de Super-heróis mais antiga do Japão, este ano, está completando 50 anos de história (e que história!). Durante todo esse tempo foram muitos altos e baixos, mas a missão foi cumprida e Ultraman conseguiu marcar toda uma geração que até hoje encanta crianças, jovens e adultos por todo o mundo. Aqui no Brasil, tivemos uma verdadeira febre do gênero no início dos anos 70 e mesmo tendo ficado muito tempo sem nenhuma nova série por aqui, Ultraman Tiga ainda alegrou as tardes de muitas pessoas em 2000, só quem assistia a série no programa da Eliana sabe do que estou falando. Hoje, com a internet podemos ter acesso a todas as séries da franquia e muitas estão disponíveis legalmente em sites de streaming como Crunchyroll e Netflix (falaremos sobre isso mais adiante). Dentre essas muitas séries, uma se destaca e muito entre as outras, sendo mais uma das séries “setentistas” que ganharam meu coração. Falo da série Ultraman Leo que será o tema da matéria de hoje.

O HOMEM SEM LAR

O jovem Leo, é um alienígena que vivia de forma pacifica em um belo e distante mundo conhecido como L-77, situado na constelação de Leão. Este mundo, era muito semelhante à nossa terra, com muitos recursos e belezas naturais. Não muito diferente da terra, L-77 passa a ser visada por alienígenas ambiciosos que pretendem dominar toda a galáxia. Um deles é o Magma Seijin (alien Magma) que em um momento decide atacar o povo de L-77, colocando em pouco tempo, todo aquele país em total domínio, destruindo assim toda a sua civilização. Por um milagre, Leo sobrevive ao terrível massacre, mas como consequência tem seus pais e seus irmãos mortos pelas mãos do tirano Magma. Agora sendo órfão e não tendo mais um lugar para retornar, Leo toma conhecimento da terra que é um mundo semelhante ao seu pais de origem e decide fazer daqui o seu segundo lar, passando a viver em solo terrestre na aparência de um jovem treinador de ginastica chamado Gen Ohtori.



Pouco tempo depois, Magma chega a terra para tentar dominá-la da mesma forma que havia feito com L-77, o que ele não esperava é que na terra, estaria Ultraseven como nosso defensor. No entanto, o astuto alienígena traz consigo dois Kaijus (monstros), que são Red Jiras e Black Jiras. Nem mesmo o experiente Ultraseven estava conseguindo dar cabo destes 3 inimigos poderosos e é encurralado tendo sua perna direita quebrada. Quando tudo parecia estar perdido, eis que surge dos céus o jovem guerreiro Ultraman Leo. Mesmo sem experiência em combate, ele consegue despachar os inimigos naquele momento. Ele então, parte rapidamente para ajudar Ultraseven, agora em sua forma humana Dan Moroboshi (devido a última luta, Seven tem o seu Ultra-Eye danificado perdendo assim a sua habilidade de transformação). 


Comovido pela história do Jovem, Moroboshi que agora é líder do MAC (Monster Attacking Crew), um esquadrão especializado no combate aos monstros, convida o jovem a fazer parte da equipe, ele também decide passar todos os seus conhecimentos de luta, assim como todos os requisitos para ser um verdadeiro guerreiro, passando assim, a ser o seu mentor. No entanto, Gen Ohtori acaba sofrendo em determinados momentos na mão de Moroboshi, que a todo momento mantém uma postura mais militar, constantemente dando sermões e ensinando de forma rígida como Gen deve agir para ser um verdadeiro guerreiro e assim conseguir proteger o seu mais novo e amado lar: a terra. Assim começa o drama de Ultraman Leo. 

Depois de alguns episódios, conhecemos um novo Ultra que é inserido na história. Trata-se de Ultraman Astra. Astra é o irmão legitimo de Leo que curiosamente também havia conseguido sobreviver a destruição de seu mundo. Diferente de seu irmão, ele não toma uma forma humana na terra, porém sempre aparece quando o nosso herói está em apuros. 



Em seguida um outro personagem importante chega para melhorar ainda mais, é o enigmático Ultraman King que tem a sua primeira aparição nesta série. King, simplesmente é o nome mais respeitado em M-78, a terra da luz – país dos Ultras. Ao chegar a terra, reconhece os dois irmãos de L-77 como verdadeiros e dignos guerreiros os nomeando como novos integrantes da irmandade Ultra e como verdadeiros Ultraman. Além disso, Leo tem a honra de herdar o manto de King, o que lhe dá a habilidade de transformá-lo em diversas armas, algumas, bem inusitadas (Risos). O manto fica em forma de bracelete no braço esquerdo de Leo.  Não posso deixar de mencionar também que a cena em que Leo e King dão as mãos em pleno pôr-do-sol, é de longe a mais emocionante e marcante da série. 

PRODUÇÃO DIFÍCIL/SUPERANDO AS DIFICULDADES

Poucos devem saber, mas a produção da série não foi muito fácil, pois enfrentaria diversas dificuldades. A ideia de produzir a série, surgiu no final do ano de 1973, um ano em que as series de super-heróis japoneses encontravam-se em uma alta popularidade. A Toei lançava séries a rodo, enquanto novas produtoras também surgiam para disputar esse espaço nas TVs japonesas, vide a P-Productions (Spectreman, Lion-man, Zaborger). Em contrapartida, podemos dizer também que não foi um ano fácil para as produtoras, pois uma grande e complicada crise de petróleo assombrava o Japão e o mundo todo, por conta disso, muitos recursos de materiais que eram utilizados para criar cenários, e também na parte de confecções se tornariam totalmente escassos. Essa crise afetou de forma direta não só a economia do país, como também a indústria de entretenimento.


A Tsuburaya Productions ainda passava por uma reestruturação após a morte de Eiji Tsuburaya, sendo agora comandada pelos seus filhos Hajime e Noburo Tsuburaya. Por sua vez, mesmo com a crise, ela dava continuidade a sua franquia de gigantes prateados. Com o termino da série Ultraman Taro, que teve de ser adiada por conta do atraso na produção de sua série subsequente, contou com 53 episódios, que era considerado um número alto, para a época. Taro, agradou em cheio as crianças da época, o que o fez o herói se tornar muito popular, no entanto, sua popularidade não foi o suficiente para torna-la um sucesso comercial como foram as séries anteriores.

A Tsuburaya se encontrava em uma fase difícil, o que a faria fechar um acordo com a empresa tailandesa Chayo Pro, o que no futuro acarretaria em diversos problemas judicias, mas como a história é muito longa vamos tratar este assunto em uma próxima matéria...). Devido a estes problemas financeiros, por muito pouco, a série sucessora de Taro não foi produzida. Mas, estamos falando da Tsuburaya, uma empresa que tem como “competência” uma de suas marcas registradas. E foi com muito esforço, dedicação, criatividade e força de vontade que a empresa começou a produzir a nova série, que estrearia exatamente no dia 12 abril de 1974 se encerrando no dia 28 março de 1975, durando exatamente 51 episódios. A exibição foi na TBS, que também exibia muitos outros Tokusatsus na época.

Devido aos baixos recursos, e também o baixo orçamento, a série contou com efeitos mais simples, se formos comparar as séries anteriores, ficando bem a altura do que realmente era oferecido na época. Algo que fica bastante visível, é que na série temos pouca atuação do esquadrão de combate, sem muitas variedades de naves e outros apetrechos de combate aos monstros. Isso deixa de ser um ponto ruim, já que os personagens acabam ganhando um espaço muito maior. 



Um diferencial, é que ao contrário dos outros Ultras, Leo não necessitava de poderes de energia e armas, mas sim, apostava na luta corpo-a-corpo com lutas baseadas em golpes de Karatê e diversas outras artes marciais. Outra característica marcante, é a transformação que acontece através de um anel (Leo Ring). O primeiro a utilizar um anel foi Ultraman Ace, mas como todos devem saber, em Ace era necessárias duas pessoas para fazer a transformação no melhor estilo Super gêmeos (Risos).

APÓS A SÉRIE...

Após a série, Leo ainda apareceu em algumas ocasiões. Apesar de não ser tão frequente se comparado as aparições de seus irmãos, ele regressaria em Ultraman Mebius (2006), série comemorativa pelos 40 anos da franquia. O ator Ryu Manatsu também retorna ao seu papel como Gen Ohtori.
Esta aparição marcante pode ser vista no episódio 34 da série, e nessa história, Leo julga o jovem Mebius em não ser digno de proteger a terra, passando a ele um desafio para que assim ele provasse ser bom o bastante para cuidar do nosso lar. Claro que após um embate, Mebius consegue provar ser um verdadeiro guerreiro e os dois se juntam para deter uma ameaça.



Outra aparição importante acontece no longa Mega Monster Battle Ultra Galaxy Legends (2009), lançado aqui no Brasil como Mega Batalha na Galáxia Ultra. No filme, Leo é o mentor de Ultraman Zero, o passando todos os seus conhecimentos para o jovem Ultra, assim como o seu golpe principal, o Leo Kick. Ultraman Zero, nada mais é que o filho de Ultraseven que em outrora também foi mentor de Leo. Uma forma digna de retribuir a quem lhe ensinou tudo, não é mesmo?


Ultraman Leo ainda aparece no especial Ultra Galaxy Gaiden: Ultraman Zero vs Darklops Zero, que é a continuação direta do filme, e também no filme Ultraman Saga (2012) onde aparece trajando seu manto, junto dos veteranos Ultraman, Seven e Jack. Este filme também foi lançado aqui no Brasil e o personagem foi dublado por Nestor Chiesse.
Além desses retornos importantes, podemos ver alguma coisa do herói no filme Ultraman Story (1984), The Revenge of Belial (2010), Ultraman Retsuden, Ultraman Ginga (2013) e nos especiais Ultra Fight Victory (2015).

SUCESSO FORA DO JAPÃO

Alguns anos após ser exibida no Japão, a série foi transmita na Tailândia, no canal UBC7 (atualmente TrueVisions) no ano de 1995. Em 2014, a série foi liberada no Havaí pelo canal KIKU-TV, que também transmitiu a série Kikaider e Inazuman, além de outros Tokusatsus dos anos 70 que se tornaram muito popular no país. Curiosamente, diferente dos outros, Leo não ganhou uma versão em DVD por lá. A estreia aconteceu no dia 3 de janeiro, e passou a ser exibido todas as sextas as 6:30 da manhã, em japonês com legendas em inglês, assim como aconteceu com as outras séries.

No mesmo ano, no dia 12 de novembro, o serviço de Streaming mais popular entre os fãs de animes, o Crunchyroll, também obteve os direitos da série, estreando ao lado de outras séries Ultras como Ultraman 80, Ultraman Max e Ultraman Mebius. Nós Brasileiros também tivemos este mesmo privilégio, e o melhor de tudo é que o Chunchyroll, continua a investir nas séries da Tsuburaya e tal contrato ainda deve se estender por muitos anos. Hoje, além dessas séries, o serviço ainda exibe Ultraman X e o atual Ultraman Orb, ambos sendo as primeiras séries a serem exibida no formato simulcast em quase todo o mundo.



No dia 13 de setembro de 2013, antes de ser transmitida em todo o mundo, a série ganhou um caprichado lançamento em DVD no Japão, e apesar de ter sido um pouco criticada em sua época de lançamento, hoje o seriado se tornou um verdadeiro Cult, entre os fãs de Tokusatsu no mundo todo.

ALGUMAS CURIOSIDADES

*A trilha sonora da série dá um show, sendo a primeira série da franquia a conter 2 aberturas. Para quem não sabe, a primeira é interpretada pelo próprio ator Ryu Manatsu junto com o grupo Shounen Shoujo Gasshoudan Mizuumi e contou com letras de Yu Aku e arranjos de Makoto Kawagushi.

Já a segunda abertura, que entrou no episódio 14, "Tatakae! Ultraman Leo" foi cantada por Yuki Hide, contando com a mesma equipe de composição. Yuki Hide também foi responsável por cantar a trilha sonora da série Kikaider em 1972 além de muitas outras canções de seriados dos anos 70.
Anos mais tarde, essas mesmas músicas foram regravadas pela Columbia onde foram interpretadas por outro ícone das Toku-Songs nos anos 70, Masato Shimon.
Outra música de destaque é "Hoshizora no Ballad" música tema de Gen Ohtori. Uma bela e emocionante canção que também é interpretada pelo ator Ryu Manatsu.



*As cenas de luta de Ultraman Leo foram todas interpretadas pelo suit actor Tatsumi Nikamoto. Nikamoto além de vestir o traje de Leo também já vestiu os trajes de outros heróis da Tsuburaya na década de 70. Entre eles: Garoga de Zone Fighter (Ryusei ningen Zone), Aizenbo de Aizenborg (Kyouryu Daisenso Aizenbogu) e também vestiu o traje do Kaiju Titanossaurus no filme Terror of MechaGodzilla de 1975. 



*O Esquadrão MAC foi a única equipe de suporte a se desfazer no meio de uma série. Parte disso, foi para cortar custos da série, pois como foi mencionado, a produção de Ultraman Leo sofreu com uma terrível crise. Muitos atores também precisavam sair do seriado após ter seus contratos vencidos. Por conta disso, a maioria dos membros eram mortos em determinado episódio. No episódio 3, Suzuki e morto pelo Alien Tsuruk. No episódio 8 temos a morte de Atsushi pelo Alien Vekira, no 16, mais dois membros são mortos pelo Alien Atlar e no episódio 40 temos o fim do esquadrão com a morte de Aoshima, Shirakawa, Satoh, Shirato, Kajita e Matsuki.


O BLOG TOKU FORCE RECOMENDA!
Ultraman Leo é altamente indicado não só para quem é fã do universo Ultra, mas também para todos os apreciadores de Tokusatsu, principalmente quem assistiu as primeiras Ultra séries exibidas aqui no Brasil, pois a série traz historias mais maduras, do mesmo modo que Ultraseven (1967) e O Regresso de Ultraman (1971), tendo uma forte carga dramática e um alto teor de violência. Se você se agradou dessas duas séries, Leo é com certeza um prato cheio. Os roteiros na maioria das vezes mesclavam ficção cientifica e terror, algumas fazendo até referências a histórias clássicas do folclore japonês. 
Embora visivelmente o seriado tenha um figurino "precário" comparada as séries anteriores, a Tsuburaya fez tudo com muito cuidado e dedicação, o que faz de Leo, um dos melhores e mais competentes seriados dos anos 70.
Como já mencionamos, a série é uma das séries licenciadas pelo Crunchyroll e está disponível completa com legendas em Português, então, se você gostou da matéria corre lá agora e assista essa incrivel série, se você já assistiu não deixe de comentar ai embaixo! Até a próxima e Schuwatch!