This is default featured slide 1 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.This theme is Bloggerized by Lasantha Bandara - Premiumbloggertemplates.com.

This is default featured slide 2 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.This theme is Bloggerized by Lasantha Bandara - Premiumbloggertemplates.com.

This is default featured slide 3 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.This theme is Bloggerized by Lasantha Bandara - Premiumbloggertemplates.com.

This is default featured slide 4 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.This theme is Bloggerized by Lasantha Bandara - Premiumbloggertemplates.com.

This is default featured slide 5 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.This theme is Bloggerized by Lasantha Bandara - Premiumbloggertemplates.com.

Papo de Tokufã com Carine Cristiane


ORE SANJOOOOU!Olá galera tokufanática!
Está chegando aqui mais um papo de tokufã, uma das sessões mais prestigiadas pelos tokufãs leitores do nosso blog. Gostaria muito de agradecer o imenso carinho dispensado a nós em todas as matérias já postadas no aqui, todas as vezes que visualizamos os comentários dos amigos leitores nos enche de animo para continuar com ele no ar. 

Fora as nossas matérias sobre os heróis japoneses, temos o prazer em saber como é o Tokufã Brasileiro, o que gosta o que assiste o que marcou ontem, hoje e sempre a sua vida através dos tempos. Só conseguimos isso graças à confiança de vocês no nosso trabalho, é conversando com você e compartilhando essa experiência com os demais leitores. Hoje vamos dar um novo horizonte a nossa sessão, focando no seriado que o tokufã está acompanhando atualmente.

Na sessão de hoje escolhemos o clássico Kamen Rider Black como tema para o novo formato do Papo. E quem vai bater esse papo nostálgico conosco será a nossa querida Tokufã Carine Cristiane.
E contamos também com uma participação mais do que especial Taty de Sousa do Blog Tatisatsu e do nosso novo colunista Alexandre Pytel, que também deixaram suas perguntas para a nossa entrevistada. Desde já agradecemos a confiança da Carine assim como, a dos tokufãs que já passaram por essa sessão e que futuramente passarão por aqui também. 

Lembrando aos nossos leitores que aqui no blog tem uma matéria muito bem escrita pelo nosso companheiro Venâncio Souza sobre o Black Kamen Rider, que com certeza vai enriquecer ainda mais a sua paixão pelos seriados japoneses. Quer ler? Deixarei o link no final dessa entrevista. Então fique conosco, boa leitura e vamos lá conhecer um pouco da nossa amiga Girl Power!


TOKUFORCE: Como foi pra você fazer parte de uma geração tão especial vivida na saudosa década de 80-90?

CARINE: Viver nesta época creio que foi sorte, foram tantas emoções vividas por causa dos heróis tanto que eu assisto até hoje e estou sempre revendo, nunca me canso e acreditem ainda me emociono choro vendo os episódios das mortes de alguns heróis, mesmo sabendo que no próximo episódio eles vão ressuscitar. Lembro que a primeira vez que vi a morte de um Toku foi à do Jiban e que chorei até, nem dormi a noite, fiquei arrasada. Na escola, no outro dia eu pulei, gritei, fiz um escarcéu quando vi voltar à vida foi uma época inesquecível, tenho orgulho de fazer parte desta geração.

TOKUFORCE: Descreva pra gente o motivo pelo qual os principais seriados tokusatsu dessa época despertaram sua paixão até hoje.

CARINE: O motivo pelo qual os adoro ainda hoje é porque eles são a melhor lembrança da minha infância, tive uma infância muito difícil, fui tirada da minha casa e obrigada a viver longe dos meus pais de criação, em casa de estranhos, e com eles aprendi a ter coragem, aprendi a não me abalar com as dificuldades, a não perder as esperanças que um dia tudo passaria e eu voltaria para minha terra e para os meus pais. Assistir tokusatsu era a única alegria que eu tinha na vida, a cada episódio me renovava à coragem e tudo o que aprendi em termos de caráter foi com eles. 


TOKUFORCE: Jaspion se eternizou desde sua aparição na TV. brasileira até hoje. Mesmo com novas séries sendo prestigiadas atualmente. Na nossa época, fora do tokusatsu tínhamos muitas referencias como filmes de ação com Van Damme, Stalonne, Karatê Kid, filmes do tipo ghostbuster, de volta para o futuro e companhia. Boa parte desses elementos está presentes nos seriados japoneses e sempre estimulava as crianças a brincarem de luta, ser uma Sayaka, uma Anri, uma Lady Diana, um Red Flash, um Change Dragon, um Jaspion. Como você vê essa época e quem você gostava de ser na sua infância ai no sul?

CARINE:  Bom, não passei esta época aqui no RS. Morei em Curitiba nesta época entre 1988 e 1991, foi quando conheci os tokus na verdade passava na Manchete o Jaspion que foi o primeiro que assisti, e por isso é tão especial pra mim.

Nossa! Eu costumava imaginar histórias em que eu mesma sendo salva pelo Jaspion ou pelos outros tokus (risos), eu viajava muito, mas, era muito divertido. Eu me imaginava sendo a Change Mermaid, a Anri, a Yoko de Jiban e mais tarde eu amava brincar de Lady Diana. Não me apegava muito em filmes nessa época, minha atenção era exclusivamente para os tokusatsus mesmo. Até os desenhos da época eu assistia e gostava, mas nada se comparava a minha paixão pelos tokusatsus. Nossa eu amava mesmo e os amo até hoje. Sou muito zuada e criticada por gostar até hoje, mas nem ligo, eles me ensinaram muitos princípios morais que carrego até hoje e acho que isso faz falta para os jovens de hoje em dia. Heróis que passem este aprendizado de: honra, caráter, dignidade, amor ao próximo, acreditar nos nossos sonhos e lutar por eles eternamente. Foi uma época mágica e inesquecível para mim.


TOKUFORCE: Antes de entrarmos nas perguntas temáticas, gostaria de saber de você o que você vem achando dessa nova fase dos tokusatsus no Brasil como a volta de series exibidas aqui pela manchete e das atuais nos sites de Streaming que estão disponibilizando um volume muito satisfatório de tokusatsu em sua programação?

CARINE: Bom, eu não acompanho muita coisa dos novos tokusatsus, no caso não tenho estas novas séries em DVD na minha casa, tenho mais as antigas mesmo. Porém conheço um pouco pela internet e acho que são ótimas no geral, acredito que faria sucesso se viesse a passar em canal aberto como na saudosa e extinta Manchete. Eu com certeza assistiria.






PERGUNTAS TEMÁTICAS SOBRE A SÉRIE KAMEN RIDER BLACK


TOKUFORCE: Segundo a concepção de Shotaro Ishinomori, Kamen Rider Black era originalmente parte de uma organização do mal. Para o criador da franquia Rider Kotaro, melhor, Issamu Minami foi criado sob essas circunstâncias não muito comuns, já que poucos heróis. Como você analisa esse herói que luta contra o mal tendo que se vestir de preto para defender a terra?

CARINE: Ele de fato foi criado para disputar com Nobuhiko o lugar de imperador secular dos gorgons e dominar a terra pra eles. Porém, por conta do arrependimento do pai no último segundo, onde ele ajudou na fuga de Issamu antes que lhe apagassem a memória. E assim ele decidiu lutar contra os gorgons em favor da humanidade. Achei perfeita a história, ficou muito bem bolada.

TOKUFORCE: Conte-nos um pouco o que mais a chama a atenção nessa série, e por que ela é tão especial para você?

CARINE: Eu acho que o ponto forte é o drama vivido por Issamu Minami, por não conseguir salvar o irmão a quem tanto amava. E pior, sabendo que teria que travar uma batalha de vida ou morte com ele, da qual fugiu tanto quanto pode, é especial para mim porque foi o primeiro Rider que assisti, mostra o quanto nós seres humanos podemos ser corrompidos pela ganância, já que o próprio pai vendeu seus filhos aos sacerdotes de Gorgons, muito triste.

TOKUFORCE: Em comparação com as séries Black e RX. Qual você considera a melhor e por quê?

CARINE: Entre Black e RX prefiro Black, por ser uma série mais forte, dramática e emocionante.

TOKUFORCE: Ainda comparando as duas séries, notamos uma diferença na personalidade de Issamu Minami. Em Black ele é mais sério, um pouco pelo drama que ele vivia com seu irmão Nobuhiko. Já em RX, ele sempre está alegre e muito divertido talvez pela dor de não ter salvado o seu irmão. A partir do seu ponto de vista, qual seria a sua verdadeira personalidade, aquele Issamu sério e emotivo de Black ou o Issamu alegre e extrovertido de RX?

CARINE: Eu creio que o Issamu mais sério de Black. Acho que em RX ele adotou aquela postura mais sorridente para disfarçar a dor que carregava no peito por ter matado o irmão,assim como a separação dele com a Kyoko e a Satie, que eram a única família que ele tinha.


TOKUFORCE: Como foi para você assistir o episódio “A MORTE DE KAMEN RIDER” um dos momentos mais marcantes e que ainda emociona grande parte dos tokufãs em todo mundo?

CARINE: Nossa foi muito triste quando assisti pela primeira vez, foi cruel, quase morri chorando. Confesso que ainda hoje choro quando revejo este episódio, mesmo já sabendo que ele volta à vida no episódio seguinte com a ajuda do monstro baleia. A emoção é inevitável pra gente que somos tokufãs.

TOKUFORCE: A pergunta é sobre Taurus. Depois de tomar posse do Sabre Satã, o vilão teve tudo para derrotar Shadow Moon ainda em formação e prestes a ressuscitar. Porém, deu preferência em capturar Kyoko na base Gorgom e desafiar Black. Como sabemos Taurus foi derrotado por Shadow Moon, Black teve tanto trabalho em derrotar o vilão que aquilo que era impossível para o herói, foi fácil para Shadow Moon. Como você analisa a trajetória de Taurus no seriado?

CARINE: Pois é ele foi um inimigo bem poderoso, o segundo mais forte depois de Shadow Moon, quase derrotou o Black. Na verdade, acho que foi por causa da espada que ele Nobuhiko o derrotou com facilidade, com certeza foi por causa do Sabre Satã, creio que sem ela não derrotaria Taurus assim tão fácil não.

TOKUFORCE: Após treze luta, Kamen Rider Black começava a lutar contra monstros mais resistentes aos golpes INSECTUS (Rider Punch) e LOUVA DEUS (Rider Kick), marcado pela batalha contra o monstro Câncer. Futuramente enfrentaria o espadachim TAURUS, até suas últimas jornadas antes de derrotar o grande rei. De todas suas técnicas apenas duas foram aperfeiçoadas, não seria muito pouco para um Kamen Rider?

CARINE: Então, pelo que lembro foi apenas um golpe que foi aperfeiçoado, no caso o golpe insectus, a menos que eu tenha esquecido. E eu não acho poucos os golpes do Black, pelo contrário, mas acho que ele deveria ter uma espada. Seria mais justo, já que seus principais inimigos (no caso Shadow Moon e Taurus), usam espadas e deram muito trabalho ao Black, ele passa por apuros por causa dessa arma antes de ele próprio usá-la para derrotar o grande rei.


TOKUFORCE: Dunker, Baraom, e Pérola, para você qual foi à morte mais impressionante dos três sacerdotes de gorgon?

CARINE: Com certeza a morte da Pérola. Achei bem dramática já que ela se mostrou capaz de sacrificar-se para que Shadow Moon pudesse derrotar o Black. Porém, ficou extremamente magoada e surpresa quando viu que ele não hesitou em sacrificá-la, na tentativa de destruir Black. O que acabou sendo frustrada e somente ela morreu.


TOKUFORCE: Apesar de muitas pessoas considerarem Kamen Rider Black RX inferior a Kamen Rider Black, não dá pra negar que ela foi uma série inovadora na franquia por ter sido a primeira a apresentar formas alternativas para um Kamen Rider, fato utilizado em outras futuras séries da franquia. Dentre todas as formas que Issamu já teve desde o seu surgimento (Black, RX, Bio Rider e Robô Rider), qual delas é a sua preferida? Por que você tem essa opinião?

CARINE: BHA! Eu ainda prefiro a do Black, achei show às transformações do RX sem dúvida foi inovador, porém, Black é uma série mais séria, meio sinistra e até dramática. Este último item faz toda diferença na série toda. Pra mim no geral Black supera o RX.


TOKUFORCE: Comparando os inimigos de ambas às séries, Gorgon e Império Crisis, qual dos dois grupos você considera o mais bem estruturado e ameaçador? Justifique sua resposta com fatos da série.

CARINE: Nisso acho que foi o grupo de RX, porque era um grupo bem maior de comandantes e todos tinham um contingente bem grande de monstros e robôs, e eles próprios eram muito poderosos. O RX teve certa dificuldade em derrotar seus comandantes. Já o Black derrotou os sacerdotes com certa facilidade. Então opto pelos vilões de RX, como sendo os mais fortes.

TOKUFORCE: A verdadeira identidade do Grande Imperador Crisis te surpreendeu ou você já desconfiava que fosse o Dasmader?


CARINE: Não jamais suspeitei, foi uma surpresa para mim.

TOKUFORCE: Agora uma pergunta muito fácil de responder. Como todas as séries tokusatsu nos ensinam inúmeras lições e valores importantes para crescermos como seres humanos. Quais foram às principais lições que as séries Kamen Rider Black e RX trouxeram para sua vida?

CARINE: Bom, em Black acho que a mensagem principal era o valor da família, toda a série era em torno do sofrimento causado pela separação do Issamu e do Nobuhiko, no caso irmãos. Já em RX, acho que a maior mensagem é a esperança. Não desanimar nunca, por maior que sejam seus problemas, enfrente-os com garra e esperança que tudo vai acabar bem

TOKUFORCE: Como você encarou a participação do ator Tetsuo Kurata nas produções atuais da franquia Kamen Rider, inicialmente na série Kamen Rider Decade revivendo seu personagem Kotaro Minami (Kamen Rider Black e RX) em 2009, nos episódios 26 e 27, e logo depois nos filmes comemorativos?
CARINE: Bom, eu só o vi em Decade, não vi os outros, porém foi muito emocionante pra mim revê-lo como Issamu Minami em Decade depois de tantos anos. Muito show.

TOKUFORCE: Em sua opinião, quais foram os episódios mais dramáticos (em Kamen Rider Black) e mais emocionantes (em Kamen Rider Black RX)? Após mencioná-los, explique o motivo de suas escolhas.

CARINE: Mais dramático foi à morte de Kamen Rider, nossa foi horrível porque ele não se sentia capaz de lutar contra o irmão, e pior de matá-lo. Foi dramático. Em RX teve mais de um episódio emocionante, eu achei muito show aquele episódio em que ele achou a Hitomi, que tinha morrido, nossa eu chorei junto com ele. E depois a morte do Shadow Moon depois dele ter ajudado o RX, também foi muito triste. E por fim a parte final do issamu com Shadow Moon nos braços foi muito emocionante.

TOKUFORCE: Como telespectadora, como você encarou na época a não exibição do último episódio de Kamen Rider Black-51- O Último dia de gorgon?

CARINE: Poxa foi frustrante demais. Eu fiquei muito triste. Nossa! Tamanha foi minha alegria quando pude comprar a série agora depois de adulta e vê-la toda.

TOKUFORCE: De que forma você encarou a sabanização da série Kamen Rider Black RX transformada em Masked Rider pela empresa Estadunidense Saban Entertainment, em 1995? Chegou a conferir algum episódio? O que pensa a respeito?

CARINE: Não faço idéia, pois nunca assisti.

TOKUFORCE: Sobre Shadow Moon, na série ele sempre esteve preocupado em vencer o Black, para ocupar o posto de imperador secular, mas ao mesmo tempo, sempre disse querer salvar suas irmãs, Kyoko e Satie. Em sua opinião, mesmo estando transformado ele ainda tinha algum sentimento por elas?

CARINE: Sim acho que ficou bem claro que ele se lembrava delas tanto que tentou convencê-las a passar pro lado dele. Na verdade acho que ele tinha lampejos de memória que iam e vinham, porque às vezes ele se importava com elas e em outras não. O mesmo vale pro Issamu, ele queria destruí-lo, mas, fugiu do confronto por um bom tempo. E mesmo quando já havia vencido o Issamu no episódio da morte do Black, ele não conseguiu arrancar o Kingstone quando ele voltou a ser o Issamu. De certa forma, acho que no fundo ele amava o irmão assim como as gurias.

TOKUFORCE: Ainda falando em Shadow Moon, ele até hoje é considerado um dos melhores vilões do tokusatsu. Qual sua opinião sobre ele? Concorda ou discorda dessa afirmação?

CARINE: Concordo claro! Ele é de fato um dos melhores vilões pra mim. Ele é o segundo melhor depois do Macgaren, ele luta muito e aquela armadura (Bha!), é muito linda. Eu confesso que torci muito para que ele recuperasse a memória depois que o Black o venceu, e que se juntasse a ele para derrotar o grande rei. Eu acho que ficaria um desfecho perfeito. Sem dúvida ele é um grande vilão.

TOKUFORCE: Pra terminar, vou fazer outra pergunta sobre os sacerdotes de gorgom, Baraom, Dunker e Pérola. Eles quase morreram ao dar suas pedras com o objetivo de dar vida ao Shadow Moon. O que você achou da metamorfose dos sacerdotes?

CARINE: Bah! Acho que ficou show depois da metamorfose. Ficaram muito mais fortes, e o visual, apesar de bizarro, eu curti muito. Também sem contar que começaram a ser muito mais úteis pra causa deles á partir daí. Ficaram fortes e poderosos dando muito trabalho ao Black. Foi difícil vencê-los, menos a pérola que acho que foi uma luta mais fraca em comparação aos outros dois, mas, ficou show.

TOKUFORCE: Deixe sua mensagem para o Blog Tokuforce.


Bom gostaria de dizer que acho show este Blog, pois, está sempre dando notícias sobre o mundo tokusatsu, contando as novidades, pra gente ficar bem informado. E achei muito legal estas entrevistas com os tokufãs, onde ficamos conhecendo a opinião pessoal das pessoas sobre os nossos heróis. Eu fiquei extremamente feliz e honrada com o convite. Muito obrigada!

E esse foi mais um Papo de Tokufã moçada! Quem sabe o próximo pode ser você caro leitor.

Link da matéria Kamen Rider Black: Review - Kamen Rider Black

Compartilhe essa matéria nas suas redes sociais.  


Por: Admilton
                                                 

Toku Force e TVS no Anime Friends 2016

Nesse último final de semana entre os dias 16 e 17, nós estivemos presentes no evento de cultura pop nipônica Anime Friends, que aconteceu mais uma vez no Campo de Marte, em São Paulo. Dessa vez, estivemos em parceira com o site TVS - Tokusatsu Vídeo Store, e além de encontrar os amigos da TokuNet espalhados por esse Brasil, também tivemos a honra de conhecer e ver de pertinho duas feras do Tokusatsu. Takumi Tsutsui (Jiraiya) e Shouhen Kusaka (Jiban) levaram a galera ao delírio com suas apresentações. Confiram um pouquinho do que rolou nesse evento que ficará sempre marcado para nós. 


Como sempre, o ponto de encontro dos Toku fãs foi o espaço Tokusatsu do grupo tokusatsus.com.br. O Stand se manteve sempre cheio e com muita exibição de séries, vendas de produtos e exposições sensacionais. Claro que os Cosplayers também marcaram presença e ali no espaço pudemos tirar muitas fotos, assim como ter um bate papo bacana sobre o assunto. 

O nosso amigo Bone Lopes do canal Os Invasores - A Resistência Tokusatsu, também marcou presença por lá, cobrindo o evento e tirando muitas fotos. Quem conseguiu comprar uma das incríveis artes dele por lá?

Bone e a galera no espaço Tokusatsu. - Foto de Marcelo Robocop
Um dos destaques do eventos foi o stand da Wow! Play, o novo serviço de streaming da Sato Company, serviço focado principalmente em produções japonesas como animes, filmes, documentários e é claro, Tokusatsus! O próprio Nelson Sato, presidente da companhia também esteve lá para a divulgação do novo serviço. O stand reuniu muitas pessoas, que aproveitaram a presença dos Cosplayers ali presentes, como o Jiraiya e o Ranger branco para várias fotos. 

Foto com Nelson Sato

O nosso amigo Edson Nakamatu esteve por lá como Jiraiya. 


Por volta das 16:30 do sábado, tivemos o primeiro dia de palestra com os atores Takumi e Shouhei que mais uma vez foi realizada no Palco Fantasy, e como sempre lotado de fãs na expectativa para conhecê-los. Os dois entraram ao som das músicas-tema das séries e com muitos aplausos. Nem mesmo o tempo frio e chuvoso em São paulo, foi suficiente para desanimar a galera que estava eufórica.  

Takumi, como sempre foi muito divertido e recepcionou muito bem o público, fazendo brincadeiras e piadas a todo momento (risos). Além de fazer a famosa "dança do siri". Sendo sua sexta-passagem pelo Brasil, e segunda vez no evento Anime Friends, ele se sentiu em casa, mas não deixou de dizer estar impressionado e empolgado com a quantidade de fãs e o quanto eles vibram em suas vindas. O ator também atacou de cantor e cantou a música tema da série. 


Kusaka, também foi muito simpático e bem receptivo, apesar de ser bem mais retido e tímido em comparação ao Takumi. Claro, que esta foi a sua primeira vez no Brasil, mesmo assim, ele se disse estar muito contente com o calor dos Brasileiros. Ele também atacou de cantor, cantando o tema da série, e o público, claro, cantou junto.


O público pôde fazer perguntas ao atores, e quem estava responsável pela tradução era ninguém menos que o nosso querido Ricardo Cruz. Um alívio para os fãs, pois muitos reclamaram da tradutora que fez a palestra do Tetsuo Kurata ano passado. Muitas perguntas foram feitas e Takumi contou um pouco sobre como conseguiu o papel para ser Jiraiya.

"Fui escolhido em meio a 3.000 candidatos que estavam concorrendo o papel para ser Jiraiya", disse o ator. 

Kusaka, disse que deve o seu sucesso como Jiban especialmente a série Jiraiya, onde interpretou Kaminin Oruha. O ator diz que devido a sua boa atuação em Jiraiya, os executivos da Toei o contrataram ano seguinte para ser o Jiban. Ao final da palestra, os cosplayers subiram ao palco fazendo os personagens Jiraiya, Jiban e Dokusai. Para o púbico a hora mais esperava, pois seria a hora do Meet & Greet com os dois. 

No dia seguinte (ontem), a palestra começou um pouco mais tarde por conta do concurso de cosplay que foi realizado no mesmo palco. Mesmo assim, o sucesso se repetiu e o público estava ainda maior. A palestra foi rápida e Takumi novamente contou um pouco de sua carreira, assim como contou como foi fazer interpretar Jiraiya novamente na série Ninninger. -" Eu realmente não imaginava voltar a interpretar o Jiraiya 27 anos depois. Para isso precisei perder alguns Kilos", disse o ator levando o público a gargalhadas. 


Kusaka também revelou algumas coisas de sua carreira, disse hoje trabalhar com contratação de atores para séries televisas e fez algumas revelações sobre seu trabalho antes de participar do Jiban. 

"Antes de fazer Jiban, quase fiz um teste para ser o Jiraiya", disse Kusaka. 

Ele também contou sobre o personagem Jiban e como ele foi inspirado no personagem Robocop, que sua vez teve seu visual inspirado em Gavan, confirmando o que muitos davam a muito tempo como apenas rumores. 

Ao final da palestra, os dois cantaram novamente junto dos cosplayers e também interagiram muito com o público. Takumi trouxe alguns presentes do Japão entre eles estavam uma camiseta autografada, uma revista japonesa de 1988 e duas sacolas de doces japoneses. Nossa amiga Leide Aguiar foi uma das escolhidas a subir ao palco junto dos dois e ainda teve a honra de levar uma sacola de doces do Jiraiya para a casa. Com certeza foi uma dia para lá de inesquecível para a nossa amiga, ein ?


O Anime Friends 2016 foi marcado pelo encontro de muitos amigos e parceiros da Tokunet. Infelizmente percebemos que o espaço para Tokusatsu ainda é pequeno demais, se comparado ao tamanho do evento, mas esperamos que isso possa mudar futuramente. Esperamos estar lá novamente ano que vem acompanhando tudo de perto novamente. Agradecemos também todos os amigos que estiveram presentes e os que não puderam estar presentes esse ano, em 2017 com certeza nos encontraremos lá.
SESSÃO DE FOTOS - TOKU FORCE ANIME FRIENDS 2016

Wagner Alves Maciel como Metalder


Edson Nakamatu (Jiraiya) e Valdir Almeida (Ranger Branco) no stand da Wow! Play. 

O Cosmaker Ney Birol como Jiban. 

Com Change Dragon. 







E por enquanto é só pessoal! E até o Anime Friends 2017!

BLOG TOKU FORCE - Valorizado o novo e o clássico da década mais divertida de todos os tempos!

Review - Kamen Rider Amazons, uma série que vai te surpreender!

Hi Minna! Nos últimos dias foi finalizada no Japão a primeira temporada de Kamen Rider Amazons. Esta incrível série surpreendeu um grande número de pessoas, não só no Japão como no mundo todo. Sendo ainda um dos assuntos do momento na Tokunet. O Blog Toku Force, traz um pequeno Review sobre essa série para você que já viu e para quem ainda vai ver! 

O início deste ano foi marcado pelos seguintes aniversários das principais franquias de Tokusatsu, sendo que Ultraman comemora 50 anos, Kamen Rider 45 anos e Super Sentai 40 anos. Como é de costume, as produtoras se preocupam em fazer séries mais caprichadas para comemorar de forma honrosa essas datas tão importantes. A Tsuburaya foi muito além com os seus Ultras e fez um marketing gigante com eventos espalhados pelos 4 cantos do Japão e até mesmo fora, além disso lançou a sua nova série Ultraman Orb, mundialmente pelo serviço de streaming Crunchyroll, inclusive aqui no Brasil.

A Toei, não chegou a ir tão além, mas não deixou de dar a sua investida. O projeto comemorativo da Toei já começou a ganhar forma no final do ano passado, com o anuncio do novo filme do primeiro Kamen Rider. O projeto ganhou nome de Super Hero Year (ano do Super-herói) e visa comemorar as suas duas franquias de maior sucesso.

A grande surpresa, porém, foi aparecer somente em meados do mês de março, quando depois uns dias de mistério, foi revelado que o clássico Kamen Rider Amazon, ganharia uma refilmagem em comemoração ao aniversário da franquia. Não seria de se estranhar que o público ficaria um tanto surpreso, já que Amazon é considerada até hoje uma das séries de Tokusatsu mais violentas já produzidas. Mas, o primeiro trailer já nos mostrou que a Toei não estava brincado.


A grande sacada do estúdio, foi fazer uma parceria com o serviço de streaming da Amazon, o Amazon Prime (Amazons na Amazon, tudo a ver, né?).  Como todos devem saber, as séries exibidas na TV nas manhãs de domingo no tradicional programa Super Hero Time, tem uma grande restrição quanto a forma de produzir, sendo necessário algo mais comercial, onde o herói é obrigado a ter múltiplas formas e um arsenal enorme de armas e equipamentos, logicamente para vender brinquedos, uma vez que a Bandai tem total intervenção. Além disso, o público alvo não é outro se não as crianças (no caso dos Super Sentais) e infanto-juvenil (caso dos Riders). 

No streaming, não seria aplicada essa "regra", a Toei estaria livre para ousar em uma produção adulta, com muito drama, ação e violência. E é aí que está o grande trunfo de Kamen Rider Amazons, pegando carona nas tendências das séries originais Netflix, tivemos um dos melhores Tokusatsus já produzidos em anos, e não só isso, Kamen Rider Amazons conseguiu atualizar e reinventar o modo de se produzir uma série do gênero.  


A série foi planejada para conter apenas 13 episódios e estreou no dia 1 de abril. Já de início causou um grande impacto entre os Tokufãs. O tempo de cada episódio também vareia entre 30 a 45 minutos, diferente das séries de TV. A filmagem também é diferente ás séries que estamos acostumados, muito mais cinematográfica, além de deixar um tom mais escuro, deixando uma atmosfera mais densa. Mas toda essa obscuridade, acaba sendo o grande chamariz do seriado.

Já nos primeiros minutos do primeiro episódio, somos apresentados a um grupo de extermínio caçando seres conhecidos como “Amazons”. A equipe é formada por mercenários que só querem ganhar uma grana e tentam fazer tudo maquiado sem que isso chame atenção da população, pois até então, ninguém sabia que cerca de 4 mil parasitas carnívoros estariam circulando livremente pela cidade, claro com uma aparência humana, isso até que o seu extinto selvagem despertasse por completo.


Logo somos apresentados a um dos protagonistas da série, o andarilho, para não dizer vagabundo: Jin Takayama. Ele tem um jeito independente de ser, apesar de viver com uma garota chamada Nanaha, que acabou sendo seduzida por este seu lado “largadão” de ser. Jin estaria envolvimento com a invasão dos parasitas, e além disso, também é um deles, diria uma espécie superior de Amazon, conhecido como Alpha. Ele diferente dos demais não possui um bracelete, mas consegue de certa forma controlar os seus poderes. No entanto, Takayama quer reparar este erro e eliminar todas as criaturas que estão soltas, por este motivo ele parte para a caça e promete exterminar todos os Amazons.


Logo também conhecemos Haruka Mizusawa. Ele tem a capacidade de se transformar em Amazon Omega, porém ainda não possui a capacidade de controlar livremente os seus poderes, além de constantemente sofrer problemas de saúde. Haruka, é na verdade filho adotivo de Reika Mizusawa, que nada mais é que a diretora da empresa Nozama Peston Service, que estaria por trás dos experimentos com células Amazons em humanos, o que por um acidente acabou causando a terrível ameaça, uma vez que os Amazons, possuem extintos selvagens e tendem a se alimentar de carne humana.

Depois de encontros e desencontros, Alpha e Omega se enfrentam constantemente, mas Jin acaba resolvendo acolher Haruka que ainda se encontrava confuso com toda aquela situação e lhe dá um cinto que não só aumenta os seus poderes, como também o ajuda a controla-los. Um ponto que vale destacar, é que as lutas dão um verdadeiro show, os dublês dessa série, realmente fizeram um excelente trabalho, que a muito tempo a Toei tem pecado, na minha opinião. 

Haruka, apesar de introvertido, tem um espirito heroico, como todo bom protagonista deve ter e vê como sua missão caçar os Amazons pelo bem da humanidade, ele também se integra ao grupo de extermínio e passa a ajuda-los na missão, além de criar um forte laço com todos eles, principalmente com o jovem Mamoru, que na verdade também é um Amazon. 

Porém com o decorrer das missões, e descobrindo que na verdade, ele e mais milhares de pessoas haviam sido vítimas daqueles experimentos oportunistas, ele passa a ter dúvidas quanto a sua missão e fica dividido entre matar ou proteger, recuando muitas vezes na tentativa de salvar as pessoas que ainda não haviam despertado os seus instintos selvagens.
Com o desenrolar da trama, não apenas Haruka como todos os outros personagens vão tendo um desenvolvimento muito significante na série. Cada membro da equipe possui características próprias, o que divide bem a ação, o drama e alguns toques, embora pequenos de humor. Com a inserção de um terceiro Kamen Rider na trama, o Sigma, as lutas ficam cada vez mais emocionantes e muitos mistérios vão sendo revelados.
Kamen Rider Amazons, embora curta soube se desenvolver muito bem, com uma trama envolvente e adulta, personagens bem construídos, conseguindo abordar diversos temas. A série surpreende também pelo seu auto grau de violência, que é uma das suas principais características (Se você não gosta de ver sangue, e monstros tendo membros arrancados, não assista).

O final consegue ser dramático e impactante, porém fica uma grande porta aberta para a segunda temporada, que já está confirmada para ser rodada em abril de 2017, e já deve estar sendo produzida na terrinha do sol nascente. Certamente, Amazons já é um marco ainda maior do que foi o clássico Amazon. Talvez, essa série veio para mudar a forma de se fazer um Tokusatsu, e a Toei já estuda a possibilidade de levar a série para o ocidente. Quem sabe assim, os Tokus passem a ganhar um espaço ainda maior no mundo todo. Kamen Rider Amazons chegou surpreendendo e irá nos surpreender ainda mais com sua vindoura segunda temporada.

- ORIGEM
Se você é iniciante nesse grande universo chamado Tokusatsu, talvez esta seja a série ideal para que você comece a conhecer, no entanto, é sempre bom frisar que a série tem como base um clássico que foi exibido no Japão entre os anos de 1974 até 1975.

Kamen Rider Amazon, foi a 4ª produção da franquia Kamen Rider que se iniciou em 1971 com a série de mesmo nome. Amazon, foi uma das séries mais ousadas e também criativas da produtora, pois apesar do enredo simples, nos mostrou um herói que não precisava utilizar armas, nem golpes tradicionais como Rider Kick ou Rider Punch, e sim somente com a sua força física e suas garras matava e esquartejava os seus inimigos. Isso fez com que a série fosse uma das mais violentas até hoje. Outro ponto que diferenciava o Amazon dos outros Riders, era sua aparência que fugia do convencional “Homem Gafanhoto” e nos apresentou um Rider baseado em uma espécie de lagarto semelhante aos Dragões de Komodo.

Amazon durou apenas 24 episódios da TV, mas conseguiu ganhar um grande destaque e também se tornar um cult em seu país de origem. Já nesta nova produção, a Toei conseguiu trazer um pouco dessa característica do herói selvagem e trazê-la para a atualidade com uma trama bem desenvolvida e um visual moderno. 

- PERSONAGENS 

Um ponto muito positivo nesta série, é que a trama não gira apenas em torno dos dois Kamen Riders principais, mas sim de muitos rostos, cada um com suas características e objetivos. Na trama, temos constantemente a presença do grupo de extermínio que foi criado pela Nozama Peston Service especialmente para caçar os Amazons, inicialmente formada por sete membros.


Shidou Makoto é o mais velho da equipe e também o líder. Embora seja sério, frio e calculista, ele tenta sempre manter a equipe unida apesar de todos os desentendimentos. O nome Shidou no Japão significa liderança.

Mamoru é o mais jovem da equipe, com apenas 17 anos, foi uma das vítimas de experimentos da Nozama, o que o fez se transformar em Mogura Amazon. Ele cria um laço muito forte com Haruka e toda a equipe e sempre faz o possível para protegê-los.

Mizaki Kazuya é o alívio cômico do grupo, sempre bem humorado, ele é um mercenário sem muitos objetivos na vida, se integrou ao esquadrão apenas para ganhar dinheiro e ter uma ocupação. No entanto, na hora da batalha se mantém sempre na linha de frente. 

Takai Nozomi é a úncia integrante feminina da equipe, porém se engana quem acha que ela fica para trás por causa disso. Nozomi é especialista em luta corpo-a-corpo e não mede esforços quando precisa dar uma surra nos inimigos. 

Fukuda Kouta é um perito em armas, com a sua boa experiência em tiros, sempre está dando cobertura a equipe nas missões mais perigosas. Ele também é o mais tímido e reservado do grupo.

Maehara Jun também se integrava ao grupo como um forte aliado, no entanto passa um grande tempo fora de cena (relaxem, pois não darei Spoilers). Após um tempo, Maehara retorna como sendo o terceiro Rider Amazon a serviço da Nozama, seu nome é Sigma.


Mizuki Mizusawa, é a irmã mais nova de Haruka, ela sempre conviveu com ele e por este motivo quer sempre o manter por perto e está a todo momento tentando entender o que há de diferente em seu irmão, que agora já não é mais o mesmo. Ao mesmo tempo, algo ainda mais forte parece existir entre os dois. 

Izumi Nanaha, é a mulher que acompanha Jin Takayama em sua jornada. Ela se encantou pelo rapaz e desde então vive com ele em um pequeno AP. Mesmo não concordando com a missão de caçar Amazons de Jin, ela faz de tudo para o seu bem estar. 

Reika Mizusawa é a diretora da Nozama e também mãe de Haruka e Mizuki, embora pareça fria e ocupada somente com o trabalho, parece se preocupar muito com seus filhos, no entanto, ela tenta a todo momento encontrar algum modo de concertar o erro nos experimentos com células Amazons.

- CURIOSIDADES E REFERÊNCIAS 


Apesar de não ter uma ligação direta com a série clássica, Kamen Rider Amazons, não é apenas de nome e a Toei se preocupou muito com pequenos detalhes, colocando diversas referências e características que fazem homenagens ao clássico.  Um dos pontos principais, e que já foi mencionado, é a violência que era marca registrada do clássico. Em Amazons, o mesmo grau de violência está presente e temos um verdadeiro show de carnificina quando Omega e Alpha entram em cena. Assim como o Amazon clássico, os dois inicialmente não possuem um golpe principal, porém com o poder do cinto, Omega pode usar uma arma pontiaguda e com isso usar o golpe Violent Break


A moto clássica de Amazon, a Jungler, também ganhou uma versão renovada e passou a se chamar Junglaider. Ela é entregue a Haruka pela Nozama Peston para auxiliá-lo nas batalhas. Já no clássico, quem a entrega a Daisuke Yamamoto (Amazon), é Tobei Tachibana, que foi mentor de todos os Riders da Era Showa até Kamen Rider Stronguer (1976). 


Ainda falando do arsenal dos Riders, tanto o cinto quanto o bracelete são muitos semelhantes, embora ambos tenham funcionalidades totalmente diferentes. O primeiro Amazon, utilizava o cinto apenas para esconder a sua arma, já que sua transformação era mesmo uma mutação que ocorria quando Daisuke se enfurecia. Já em Amazons, o cinto também serve para se transformar e como arma, porém também aumenta o poder de quem o utilizar, ajudando assim a controlar melhor os poderes. 

Já o bracelete, teria uma importância muito maior na série clássica, pois quem assistiu sabe que o motivo dos impérios Geddon e Garander perseguirem Amazon, seria para se apossar do bracelete que ele possuía. São 2 braceletes Gigi e Gaga que quando juntos, o usurário poderia adquirir um grande poder. Já em Amazons, toda essa história foi deixada de lado, e o bracelete acabou tendo menos importância, o que só serviria para identificação de cada Amazon.  


Outro personagem que foi homenageado de certa, foi Mogura, ou como todos conhecemos como Monstro Toupeira, um grande amigo e aliado de Amazon, que na série clássica, proporcionou muitos momentos cômicos e tristes. Em Amazons, ele é Mogura Amazon, e em sua forma humana, é o jovem Mamoru que também se torna grande amigo de Haruka. Ele tem um jeito doce e sensível e o seu objetivo não é outro, se não proteger os seus companheiros. Alias, a palavra "Mamoru", significa proteger me Japonês. 


Além de Mogura, outros monstros clássicos ganharam uma nova roupagem. Tivemos novas versões de alguns monstros como Spider, Ant, etc. Além de muitos criados especialmente para a nova série. 

- RUMO AO FUTURO 


Kamen Rider Amazons, conseguiu trazer de volta um pouco do espirito "Showa", que a muito tempo já havia se perdido nas séries da franquia. Em muitos momentos, iremos lembrar de séries como Kamen Rider Black, Shin Kamen Rider e claro, do clássico Amazon. A série também trouxe uma nova abordagem e quem sabe um novo formato de séries Tokusatsu feito para adulto nos serviços de stream. 

O grande sucesso de Amazons, trouxe de volta também o clássico Amazon que em outubro deste ano, deve ganhar um caprichado lançamento em Blu-ray. E o Blu-Ray e DVD de Amazons, devem chegar as prateleiras japonesas em fevereiro de 2017. Atualmente, a série também está sendo exibida na TV, em uma versão editada (cheia de cortes) nas madrugadas do canal da BS Asahi e da Tokyo MX, vinculando inclusive uma abertura especial para a TV. A música Armour Zone, na verdade começou em encerramento da série quando exibida via streaming. 


Agora nos resta esperar até a primavera de 2017 para conferir a segunda temporada dessa série incrível. Ela não deixa pistas do que poderá ser abordado nesta segunda fase, o que nos faz ficar ainda mais ansiosos! 
Assim finalizamos mais um Review. Esperamos que tenham gostado e não deixem de conferir essa mega produção da Toei. A série ainda não está por aqui oficialmente, mas pode ser baixada através de nossos fansubers, ou pode ser adquirida em DVD através do nosso parceiro Tokusatsu Video Store.

- FICHA TÉCNICA


Título Original: Kamen Rider Amazons 

Produção: Toei Company/ Bandai/ ADK
Distribuidora: Amazon Prime
N° de Episódios: 13/ Primeira temporada 
Data de exibição: 1 de abril de 2016 a 24 de junho de 2016

Elenco:

Tom Fujita/Haruka Mizusawa
Masashi Taniguchi / Jin Takayama
Rena Takeda/ Mizuki Mizusawa 
Shundou Mitsutoshi/ Shidou Makoto 
Ayu Hihashi/ Izumi Nanaha 

Elenco de produção:

Roteiro: Yasuko Kobayashi 
Direção: Hidenori Ishida
Ryuuta Tasaki
Osamu Kaneda
Direção de ação: Keiya Tabuchi 
Música: Kuniaki Haishima
Produção: Naomi Takebe (Toei)
Shinchirou Shirakura (Toei)
Atsushi Kaji (TV Asahi)
Motoi Masaki  (ADK)

Música-tema: Armour Zone 

Interpretação: Taro Kobayashi 
Letras: Mike Sugiyama 
Composição: Nobuo Yamada
Arranjos: Tetsuya Takashi