segunda-feira, 13 de abril de 2015

Papo de Tokufã com Alberto "Gao" Hunter (1ª e 2ª parte)

" Parece existir uma visão mais fanática do que saudosista,em especial com muitos questionando as mudanças dos gêneros em relação ao que havíamos presenciado na época da TV Manchete."

Fala nação Tokufanática!
Gostaria de agradecer á todos os amigos leitores que disponibilizaram um tempinho, para Prestigiar a nossa última sessão Toku Fã com a linda Elce Rocha. Sem dúvida uma pessoa muito bacana, divertida e uma das grandes girls Power que amam o Tokusatsu. Como eu disse na sessão anterior: “ Sim, MULHER também entende de TOKUSATSU!”
Na sessão de hoje, temos o prazer de entrevistar um grande amigo Tokufã. O Tokuforce é até meio que suspeito em falar sobre esse amigo de bom coração, sincero e com uma personalidade muito forte.
Não é a toa que ele é uma personalidade  muito  querida na tokunet por estar envolvido em muitos projetos relacionados à cultura pop japonesa. E também um grande colecionador de Toys. Alberto deixa na história recente do Blog Toku Force uma marca muito positiva. Sendo o primeiro entrevistado a ter uma sessão papo de Tokufã dividida em duas etapas. Desde já agradecemos a confiança desse grande parceiro de tokunet e que tanto nos incentiva.
Como disse, nosso entrevistado de Hoje é com o amigo Alberto Hunter, conhecido por todos como Gao Hunter Justice ou simplesmente Tio Gao.

TOKUFORCE: Primeiramente, obrigado Alberto Gao Hunter pela confiança e pela oportunidade de ser o nosso grande entrevistado na sessão Papo de Tokufã, aqui no Blog Tokuforce.Conte pra gente como começou a sua história com os heróis japoneses e como cada um deles contribuiu ou influenciou a sua vida até hoje?
ALBERTO HUNTER: Tecnicamente,essa história começou duas vezes no meu caso. E sugiro sentar que lá vem história (Risos). A primeira delas, a da infância, é um “ancestral comum”  á maioria dos fãs: A era Manchete com a “Santíssima trindade do super sentai” Changeman, Flashman e Maskman... que a TOEI “ Homenageou” ao deixá-las a mercê de Basco em Gokaiger,mais assim é a vida.(Mais risos XD)
Naturalmente que os demais tokusatsus exibidos no Brasil pela Manchete, também estiveram presentes, mas em especial Jaspion e Jiraiya que ficam muito na lembrança. Ao contrário de muitos, não cheguei a ver séries de outros canais, de modos que sou “Puramente Manchete” nesse primeiro momento. Ei, não dá para esperar profundidade sobre o que você assiste quando é um pivete que brincava como seu herói da TV não acha? Eventualmente, eu comecei a me afastar do meio, ficando mais apegado aos animes e apenas me provendo de “Power Rangers” devido aos robôs gigantes... Bem, eu sempre curti robôs, nem o “codinome” esconde isso! (Gargalhada), mas daí veio o tempo em que eu entrei na Combatentes da Liberdade no finado Orkut e conheci o “Electrolux” Guyferd, e daí veio a Tokufriends. E então, a História dos heróis Japoneses explodindo tudo em pedreiras, agora como “Gao Hunter Justice”, começou. Na época, eu sequer sabia que Gaoranger, ou mesmo a franquia de super sentai como um todo existia. Pra mim o “Gao Hunter Evil/Justice” se chamava” Predazord” mesmo, tamanha minha ignorância na época, mas tudo foi corrigido mediante pesquisas, que é do que compõe a maior parte do meu conhecimento desse universo. Bem, isso e as citações pertinentes do Nobuo em Akibaranger.Também na época, eu comecei a ficar desgostoso de muita coisa que via nos pequenos nichos de grupos de animes, mais parecendo uma rincha infantil feita por... Crianças? Bem isso. O grupo dos “Shows de caras em fantasia de Lycra” tinha pessoas mais cabeça e maior maturidade, e eventualmente eu suprimi minha participação em grupos de animes e caí de cabeça na Tokufriends. Foram os melhores anos da Tokunet. Eu ainda tinha o meu próprio projeto no mundo dos animes, a faculdade e muita coisa rolando e atrapalhando tudo, mas foram bons anos aqueles...
Porém, com o passar dos anos e o convívio de muita coisa ruim também na tokunet, ás vezes eu imagino que, se houve uma influência dos tokusatsus nesse novo período, ela se perdeu no meio da suposta falta de exemplos dados aos demais membros da mesma. Ou que, por vezes nós quem somos os monstros, só precisando de um Jaspion pra enfiar um Cosmic Laser/Cosmic Harley na cara pra dar Jeito. e explodir em seu único, e último momento de glória.

TOKUFORCE: Qual é a sua franquia favorita  em tokusatsu?
Para Alberto a franquia que vai mal é a dos Metal heroes.
Na Foto Jaspion vs Gavan

ALBERTO HUNTER: Eu diria “Metal Hero”,mas sou suspeito de falar qualquer coisa por eu sempre preferir as lutas de robôs gigantes, e Daileon simplesmente satisfaz.(risos). E claro,sendo eu amante de lutas de robôs gigantes e monstros, não pode deixar de faltar Godzilla vs King Ghidorah da era heisei que passava no SBT, uma autêntica luta de gigantes com direito a Mecha-Ghidorah. Nem precisa dizer quem foi ver Círculo de Fogo e comprou os Blu-Rays e bonecos do filme né?(Risos)
TOKUFORCE: Ainda falando em franquia,quais você gostaria que retornasse de fato ao universo Tokusatsu?
ALBERTO HUNTER: Eu.. acho que parei no tempo ao ler a pergunta..
Até onde lembro,a franquia “mais mal das pernas” é a dos metal hero,mais uma que eu sinto falta mesmo é a dos kaijuus. Ok,tivemos Círculo de Fogo,o Godzilla da Legendary “G14”, a promessa da sequência com mais Kaijuus clássicos e, antes deles, Cloverfield..
Mas depois de Final Wars,só silêncio..
Possívelmente eu não sinta falta de Metal Heroes porque.. cá pra nós,eu nunca fui muito fã disso de colocar personagens por uns trechos de filmes. Pra mim é só pra dizer “ó, a gente sabe que eles existem,toma aí um gole de nostalgia” e fim.
Isso,claro,desconsiderando os filmes da “Geração seguinte” de Detetives do espaço;pelo pouqíssimo que vi e conheço dessa primeira trilogia, a TOEI parece ter acertado. Vamos esperar pra ver se vem mais.

TOKUFORCE: Atualmente com tantos REBOOTS e TAIZENS produzidos pela TOEI,teve alguma produção que tenha chamado a sua atenção? Por que?
Kikaider 

ALBERTO HUNTER: Pra ser franco,esses “todos contra todos” que a TOEI faz não me chamam a atenção como ocorrem com os Reboots,em especial, os anúncios de Kikaider e Gatchaman.
Pra ser franco,um anúncio recente que me empolgou bastante foi o “curta-animado-mais-pra AMV”de Gridman- E isso eu só conhecendo a série devido a Super-Human Samurai Syber Squad. Adoraria ver se isso tomaria o rumo de acabar virando uma série animada de fato pra dar a sequência cancelada, e quem sabe a chance de alguém legendar a série original.

TOKUFORCE: Os tokusatsus 80-90,que foram exibidos no Brasil,são vistos até hoje com um misto de Fanatísmo e Saudosismo. Qua a sua visão sobre esse cenário na Tokunet atualmente?

ALBERTO HUNTER: Pra mim, parece existir uma visão mais fanática do que saudosista,em especial com muitos questionando as mudanças dos gêneros em relação ao que havíamos presenciado na época da TV Manchete. Por exemplo,essa visão de “Vermelho como líder firme” que irrita alguns fãs a ponto de fazê-los parar de ver uma série,afinal é simplesmente inadmissível que o “RED” seja um cara inexperiente ou de visual afeminado.. Dado em conta que diversos “líderes” nos tokusatsus começaram com o pé esquerdo ou não tão “poderosos” de cara, imagino quantas séries mais tivessem sido renegadas. Dá até pra imaginar que essa galera correu de JIRAIYA que começou fraco e ganhou “cicatrizes” que demoraram pra curar; Metalder após perder a primeira luta; Gingaman por Ryouma mais parece “estar” do que “ser” o líder,especialmente após Hyuuga voltar; talvez Carranger devido ao episódio parodiando a importância de ser.. O LÍIIIIIIIIIIIDER, vixe!
Raios , até Gokaiger poderia estar nesse bolo!Não necessáriamente por “Marvelzinho” ter algum aspecto afeminado, longe disso, mas o cara era.. “mais bonito e arrumado” do que muito líder por aí, admitam. Isso e o Basco a tira-colo com essa de “Mabe-chan”.. Bem, já viu onde isso vai parar né?(Risos). Dito isso, com a quantidade de discussões bestas que eu vivenciei na tokunet,não é espanto esperar uma opinião mais negativa sobre essas coisas.
TOKUFORCE: Com o digamos “ BOOM” de Fansubs na Tokunet Brasileira, uma afirmação feita por uma tokufã,chama muito a atenção.. “A TOKUNET não é mais a mesma”. Pra você a Tokunet brasileira ainda é a mesma ou já teve melhores momentos?
ALBERTO HUNTER: Entenda que meu conhecimento da tokunet “ ANTES e DEPOIS” de quando entrei na Tokufriends até hoje não são os mesmos; Atualmente eu sei e vejo mais coisas do que antes.. E , considerando tudo isso, eu notei um surto de QUANTIDADE que, infelizmente, não anda junto da QUALIDADE na maioria dos casos. Agora, a pergunta aparentemente relaciona o “boom de fansubs” com o quão bem-ou mal-a tokunet anda das pernas.
(Suspiro) Pra mim, “Fansub” e “Grupo Tokusatsu” são coisas diferentes. Mas muitos grupos novos agregam a função de “Fansub”( Com ênfase irônica nas aspas colocadas em “Fansub”) intimamente com seu status de “ Grupo de Tokusatsu” e, do meu ponto de vista, viraram locais infestadas de gente atrás de download de séries,e só. Em suma,é um grupo que cresce em número.. e só.
TOKUFORCE: Na sua visão qual a diferença dos antigos Fansubs com os atuais?

ALBERTO HUNTER:Essencialmente? Quantidade.
Antes, um grupo que quisesse legendar o que quer que fosse,teria que comer do pão que o Satan Goss transformou num monstro incontrolável: Teria que saber Japonês ou extrair legendas de episódios legendados em inglês de um modo tortuoso; teria que baixar RAWs e preparar as subs na marra; teria que fazer TUDO ISSO dispondo de conexões lerdas e PCs não necessáriamente designados pra conversão e esperar horas sem fio no processo.. mas hoje?
Ah, baixa o episódio em MKV Softsub do Over-Time,Grown-Ups in Spandex, Milionfold Curiosity, Mindnigth Crew Subs, Megabeast, “sei –lá-o-quê” Anon.. daí extrai a sub com o MKVclever,traduz com o AegiSub, reinsere a legenda com o MKVMerge e upa na sua net de 5MBPS(“gatonet” na pior das hipóteses; usar 3G é inconcebível pra isso)!Quer um episódio pequeno? Enfia esse mesmo episódio no Format Factory e pronto! E, ao contrário do que muita gente pensa, esse “programa besta” é meramente uma interface bonitinha pros programas que DE FATO convertem tudo,como o FFDshow,X264, AACencoder..igual ao MeGUI, igual ao SUPER, igual ao AviDemux, igual ao VirtualDub/VirtualDubMod, igual ao HandeBrake, igual a.. Pera,eu só acho que não deveria ter dito esse “segredo de sete chaves” ainda guardado inutilmente por tantos grupos..Enfim, antes de um episódio que fosse de tokusatsu era um processo longo que só um fã poderia ser louco o bastante para fazer, mas hoje é mole demais, até o Google Tradutor pode ser um Fansub, basta os empregados da empresa lançarem as legendas eles mesmos no Google Tradutor e pronto!(Risos). Isso do “até o Google pode ser fansub” infelizmente reflete na qualidade da tradução. São raros os grupos que traduzem bem e devidamente, a maioria parece que realmente jogou os Scripts no Google Tradutor, retocou uma bobagem ou outra e colocou algum efeito besta só pra dizer que “ manja”.. É por isso que você dificilmente me verá apontando grupos de fansubs em português em qualquer grupo, e se eu o fizer, antes terei apontado os grupos gringos que o fizeram, porque há enormes chances da “tradução brazuca” ter saído de lá. 

TOKUFORCE: Fansub San Days, um projeto que foi concebido não muito recentemente e que tem um ideal muito diferenciado e que ainda sim merece ser lapidado cada vez mais por você e o amigo Henryuki Rider. Conte-nos um pouco sobre esse projeto.

ALBERTO HUNTER: O conceito do “Fansub San Days!” está impresso no próprio nome, mas duvido que alguém tenha notado. Dependendo de como você lê o título do projeto, você pode “percebê-lo” de três formas. A primeira é um jogo de pronúncia: A parte “San Days” tem uma pronúncia semelhante a “sundaes”, um tipo de sorvete. É o que explica termos um “sorvete” em imagens iniciais (agora inexistentes) e nlápis cone de página do blog (Atualmente fechado para reforma); A segunda também é um jogo de pronúncia: “San Days” também parece soar como “Sundays”, “Domingos” em inglês. Serve pra associar que o nosso trabalho é feito no tempo livre. Bem, não necessariamente domingo, porque trabalhamos em regime de escala.
A terceira é a tradução do nome, “Os dias do senhor Fansub”, É nessa “percepção” do nome que estava à idéia original: mais do que “só mais um Fansub”, o Fansub San Days seria um “Blog de experiências” sobre o que legendamos, sobre como fazemos, sobre alguns causos do passado.  Mas minha visão já negativa da tokunet por si não me fez vislumbrar este objetivo eu mesmo, e deu no que deu.
Na época da concepção, o FSD- que é a forma abreviada a qual sempre me refiro ao grupo - seria um sucessor e possível substituto pro igualmente falecido “Toku Heroes Fansub”, também a ser integrado ao tokufriends, e ainda sim “independente”, pra não ficar” só mais um na multidão “- Ou pelo menos era a minha intenção. A formação inicial era composta por mim e Henryuki, com talvez quem quisesse se juntar a nós num futuro. Na época, eu ainda estava desiludido com o “trabalho pra fãs” decorrente da péssima experiência com meu projeto anterior, o K.E.Y.Fan, mas tinha a melhor bagagem. Henryuki já era, e continua sendo, um bom tradutor desde sempre, embora eu o alfinete dos erros pertinentes de ortografia nas legendas; ele entrou com gás em alta e conhecimento em programas em baixa. Originalmente, eu esperava um dia “Acordar dessa preguiça” e voltar a legendar alguma coisa, mas enquanto não, eu mantinha o PC de Henryuki em operação plena, provendo os programas e meios pra ele mesmo fazer tudo. Essencialmente, o FSD ficou a cara do Henryuki, como bem, o Fansub dele. Por mais que ele diga que era “dele só no nome”, isso não era visivelmente verdade, mas por autêntica omissão de minha parte do que qualquer outra coisa. O grupo não seria mais o que eu planejava que ele fosse, seria um Fansub com um nome muito bem bolado. Mas ainda útil mesmo assim devido a ele ser futuramente anexado a tokufriends. Isso era certo, e apesar de tudo, isso me bastava.
Porém o "conhecimento" de que Henryuki iria sair do FSD por supostamente, “estar escorado na minha sombra” e “querer seguir o seu próprio rumo”, a ser anunciado após encerrar TOQGER- inclusive, o nome” Locomotiva Expressa” e os termos usados em trens foram minha colaboração, por isso meu nome está nos agradecimentos de todos os episódios-, me deixou apreensivo. Era estranho, porque ele gostava do FSD apesar de tudo. Então achei que seria hora de passar pra Henryuki a “última lição”: Ver se ele estava pronto pra lidar em situações críticas. Eu fechei o acesso ao blog porque queria ver se ele seguiria em frente mesmo ou encerraria o projeto.. E ele mesmo escolheu o último.
Do meu ponto de vista, ele simplesmente escolheu errado, e pra piorar, mesmo que eu quisesse prosseguir eu sozinho com o projeto, eu não tinha o acesso pleno á fanpage do Facebook igual eu tinha ao blog. Henryuki anunciou o fim do FSD e o prosseguimento no “Henryuki Rider”, um blog que ele criou uns anos antes, reusando o tema originalmente instalado e modificado por mim no FSD, e usou o supostamente morto FSD como “plataforma” pro blog dele. Isso pra mim foi o mesmo de vê-lo descer ao mesmo nível de outros grupos que se “apoiaram” nos antigos, subiram e depois repugnaram os outrora “amigos”. Era imperdoável.
E, depois de umas discussões bestas e perda do meu perfil antigo, Henryuki e eu vimos à situação em “OFF” e decidimos por manter o FSD em paz. Essencialmente, eu dei a posse “de direito”, porque de fato o grupo era dele. Ele me pediu pra reintegrar o FSD, mas eu ainda não dei uma ”resposta oficial”. Isso, “aliado ao fato de que eu aproveitei essa “destruição” pra” recomeçar do zero “em um novo projeto (“K.E.Y. após a rebelião”, K.a.R. pra abreviar; antes “K.E.Y. ANTI Revolution”, mas esse nome não vinga mais) e o atrito com uma das membras do grupo vigente dele simplesmente tornam um “retorno” como “membro” improvável. Mas agora, a existência ou queda do FSD dependem do Rider agora, não de mim. E não é como se vocês fossem se ver livres de mim tão cedo, ainda sou eu quem arruma a bagaça do Windows quando ele decide que tá na hora de "formatar “

(continua...)
Gostaram da primeira parte da entrevista?

Aguardem mais alguns dias que logo o Blog TOKUFORCE atualizará a segunda parte da Sessão Papo de Tokufã. E não se esqueça de deixar um comentário pra gente!


Como prometido aqui está a segunda parte da sessão Papo de Tokufã com o grande Alberto Hunter ou Gao Hunter Justice para os mais íntimos (risos) Resolvi colocar essa segunda parte junto com a primeira para facilitar a vida de vocês leitores na hora da busca, e também para que as duas partes não se percam junto os demais arquivos do blog. Então vamos a segunda parte...

Papo de Tokufã com Alberto "Gao" Hunter (2ª parte)

"Os novos RECURSOS como armas e dispositivos de transformação mais como MERCHANDISING do que “inovação”, sem mencionar a FALTA AFETIVA de ver mais ação com os personagens destransformados em combate que muitos sentem, pra compensar com eye-canding.”


TOKUFORCE: Como começou a sua história na Tokufriends? E como é a sua relação com a mesma atualmente?
Silin Guyferd boss do site Tokufriendes
Reprodução/ Facebook

ALBERTO HUNTER: Lembro de ter citado numa pergunta anterior que minha história na Tokufriends- que eu vou me referir como “TF” desse ponto em diante-começou no “Segundo começo”, quando eu conheci o “ELETROLUX” Guyferd na Combatentes da Liberdade, no Orkut.
Ele me convidou pra Tokufriends pouco tempo depois disso, e naquele tempo era o começo de tudo no fórum e tal- O que implica dizer que sou parte da primeira formação do grupo, e portanto um dos mais antigos. Na época,eu ainda tava” lá e cá” na tokunet e animenet, com o “The Key of the Broken Hearts”, meu projeto pessoal de certos animes de drama baseados nos jogos da Key/Visual arts,bons tempos aqueles.. Mas vocês não querem saber disso,então vamos em frente(Risos). De início, eu era moderador do fórum,e também uma figura de “árbitro” para tentar solucionar problemas interinos.. ou quando as crianças decidiam ficar brigando como,bem, crianças. Numa das reformas do fórum,eu me tornei um dos administradores, e na época eu tentei me aventurar,mais uma vez, com legendas. Este foi o meu momento áureo..
Mas daí ocorreu algo que eu mesmo nem lembro direito o que foi. Quando dei por mim, o site estava caído, e eu, um tanto quanto debilitado na época por fazer muita coisa junta,não tinha a mesma “força” de antes.. quando eu notei,minha posição de administrador era uma lembrança como todo o resto. Houve uma tentativa de reanimar quando fui integrado ao Toku Heroes para legendar Sun Red, mas eu já não era mais o mesmo naquela época. Já estava desempolgado com tanta coisa ocorrendo. Numa tentativa de ser útil ao TF, eu me voluntariei pra ser moderador no Tokyo Space, mas com a perda do perfil do Gao.. Bem,pode-se dizer que agora não sou mais nada, “Só” o membro da primeira formação da TF, aguardando tudo voltar pra ver se me reanimo. Mas por hora, aproveito a chance desse “ reset forçado” pra outro rumo. Estarei lá quando o Guyferd me chamar,mas por hora, virei um bem sucedido.. peso de papel ( Risos)

TOKUFORCE: Ainda falando da Tokufriends, você ainda lembra dos primeiros membros do grupo?
Super Gisele atualmente dedica-se a música
Foto reprodução/Facebook

ALBERTO HUNTER: Lembro de alguns poucos, tinha o Paragon que era o ‘Webmaster” do site, tinha a “Super Gisele”... que eu esqueci o que fazia, a Kaoru do Extreme Fansub que também era membro do grupo, tinham outros,acho que umas 8,10 pessoas,mas meu contato mais constante era com o Guyferd.
TOKUFORCE: Hoje a Tokufriends é um grupo renomado internacionalmente, mas no Brasil ela está um tanto quanto estagnada com alguns projetos,como por exemplo a Tokufriends Express e o seu site oficial. Qual a razão desse fato?

ALBERTO HUNTER: Acredite ou não, mesmo eu não faço idéia do que aconteceu, de fato para a “queda” da Tokufriends. Aliás, eu apontei algo semelhante numa pergunta anterior. Eu já tinha uns problemas sérios na época pra prestar a devida atenção no caso. Aliás, eu ouvi algumas coisas sobre o que teria ocorrido, mas é mais sensato que eu não aponte tais casos. Digamos que pode ocasionar o oposto da “paz na tokunet” que esperamos.
Acima alguns artigos vendidos pela Tokufriends Express

TOKUFORCE:Você é detentor de uma grande e variada quantidade de toys, recentemente adiquiriu toys do seriado Akibaranger. Como é para você chegar em seu lar e ver todas essas maravilhas na sua estante?
ALBERTO HUNTER: Ter um medo sem fim de que eles caiam da prateleira e rachem as partes transparentes dos peitorais na queda. ( Gargalhadas) Não, sério! Uma das minhas  Akiba Yellow acabou caindo em cima de um notebook na minha mesa. Eu vi algo parecendo rachaduras e surtei, mas ela foi relativamente barata, então aliviei mais. E depois relaxei quando vi que eram só as ranhuras do design da própria armadura.. e depois fiquei olhando pra ver se não tinha nenhuma rachadura no notebook que me “amparou”  minha Yumeria. ( Risos) Como você disse eu tenho uma quantidade grande de toys, majoritariamente transformers, minoritariamente peças de tokusatsu. Eu consegui seis Akibarangers ( As Akibas Blue e Yellow de ambas as  temporadas, mais Delu Knigth e Akiba Red dourado, ambos exclusivos e mais caros do que o normal) num leilão muito sortudo ( Bem dizer uns R$ 70,00 por peça), e o Akiba Red da primeira temporada que decidiu chegar inesperadamente,após semanas nas mão dos funcionários da Receita para tirar fotos da caixa dele e viagens a “Grande ilusão”.(Risos). Devo dizer que não tinha tanto interesse nas “peças pequenas” que são os Figuarts, mas elas são lindas peças de exposição na estante.

 Nesse momento, Nobuo está na pose de ultraman prestes a dar um Spacium Ray enquanto as demais olham  com espanto.. e a Mitsuki com desdém. A razão pelo “ olhar torto” dos Figuarts é devido a minha preferência pelos SICs, a linha “ Super Imaginative Chogokin” que possui personagens de tokusatsus de visual repaginado, mais sombrio.. e com bonecos maiores. Dessa linha, eu possuo os Kamen Riders Stronger e Tackle (Eles vem juntos), ZX (comprei acidentalmente na pré-compra), 000 TaToBA combo (consegui numa promoção numa loja de Brasília), os Kamen Riders  Ichigo e Nigo( as versões mais recentes que “me dei” de aniversário) e os Akumaizers 3(outro leilão barato). Além deles, obtive um Figuarts da primeira versão do Kamen Rider Black (troquei pelo meu Beast Hunters Predaking com o Guyferd), possuo as “versões Power Rangers” da Geki Yellow e os Retrofires (Megazords altamente posáveis e que não se transformam, grosseiramente falando um “Super Robot Chogokin de pobre”) de Geki Touja, Gosei Great, Gosei Ground e Gosei Ultimate, um boneco de Changerion da época da série( espantosamente barato na época) e um robô de  Sazer- X, o DX Shark Leaguer (grande, articulado e relativamnte barato, tudo que amamos em brinquedos). 

E,embora não necessáriamente “tokusatsu”, também possuo o Godzilla do novo filme americano e Dipsy Danger, Coyote Tango e Leatherback de Círculo de Fogo, todos da NECA. Nem vou contar com o Alien, os predadores e outros “ quase tokusatsus” da vida..

TOKUFORCE: Dos sentais antigos de 1975 á 1992,sentais atuais de 92 para cá. O que você poderia destacar a título de inovação ou evolução na franquia Super Sentai?

ALBERTO HUNTER: Robôs quase imóveis com múltiplos braços em computação gráfica! Surja Samurai Há-Oh! (Gargalhadas)
Meu “porto seguro” pra comparar as mudanças dos sentais antigos com os novos são a “trindade manchete” e Gokaiger, os que melhor acompanhei. Dito isso, um ponto notável de evolução que eu gosto de citar é o maior uso de efeitos, em especial computação gráfica, nas séries mais novas. E mesmo assim ela não substitui completamente as tradicionais maquetes de cidade ou de robôs. Sempre o novo e o tradicional de mãos dadas. Já inovação.. Pra mim é estranho pensar em “inovação” numa sub-seção do tokusatsu que segue a fórmula de sempre, essencialmente. Por vezes você vê os novos “recursos” como armas e dispositivos de transformação mais como “merchandising” do que “inovação”, sem mencionar a “falta afetiva” de ver mais ação com os personagens destransformados em combate que muitos sentem, pra compensar com “eye-canding”. Mesmo a idéia de “componentes extras permutáveis pro robô principal” que históricamente começou em Carranger mas virou tendência em Gaoranger pra frente, acabou aloprada depois.De modos que, seguramente, “inovação” em super sentai veio com Akibaranger Mesmo..

TOKUFORCE: Agora vamos falar de grupos tokusatsus na tokunet. O que é legal e o que é sacal em moderar grupos de tokusatsus nas redes sociais como o Facebook?

ALBERTO HUNTER: O interessante da posição de moderador é a capacidade de “filtragem de conteúdo”, em especial quando a galera posta coisa que não tem nada a ver. Mas normalmente você só se usa disso quando é postagem de Spam. Outra das coisas que esse poder te dá é a capacidade de resolver dificuldades. Ok, parece estranho, você pode ajudar algumas pessoas com postagens no grupo ou em OFF mesmo sendo um usuário comum, mas determinados problemas ocorrentes em grupos requerem ações que só o moderador é capaz de executar devidamente. Quando você mostra o interesse em solucionar certos problemas pessoalmente e fora do grupo, você é normalmente bem visto e bem quisto por estas pessoas, e por vezes elas te apoiam ou defendem em certos casos. O sacal é você ser visto e tratado como um “tirano” simplesmente porque seguiu as regras da casa á risca, razão pela qual eu nem dou bola da minha infame fama na tokunet. Eu sei que, pra cada pessoa que eu ajudei, tem pelo menos outra falando mal de mim pelas costas, e a propagação dessa “maldade” infelizmente é mais intensa do que as boas novas. Mas eu estou habituado, fora que, por pior que você seja visto, “ é um mal necessário”.

TOKUFORCE: Eventos de tokusatsus aqui no Brasil. Houve muitos eventos nesse segmento em nosso país, agora com a vinda  e vários grandes atores e agora também com a vinda do ator Tetsuo Kurata, como você vê esse cenário e quem você gostaria de ver (ator ou atriz de tokusatsus) apresentando-se aqui no Brasil?
O ator Takumi Tsutsui (ao centro), participou do evento Omakê em Pernambuco em 2014
Foto : Diego Silvio

ALBERTO HUNTER: Vejo como ótimo pros tokufãs, especialmente porque a maior parte das atrações de diversos eventos japoneses são focados para os fãs de animes. Por muito tempo que isso de “eventos pra fãs de cultura japonesa” mais pareciam eventos fechados pro nicho dos otakus e cosplayers mesmo. Se não me falha a memória, tivemos um ator de tokusatsu num evento aqui de Pernambuco, só não lembro quem foi de cabeça.. Vou entender se não me perdoarem até 2016...(risos). Admito que não tenho um ator em específico que eu gostaria que viesse, mas se o que vier no dia fizer o obséquio de passar na estação de metrô onde estou alocado, já ajuda um bocado! Normalmente os eventos não coincidem com as folgas, então eu basicamente ... poupo dinheiro. Ei, o dinheirinho que não vai pro evento, vai pra prateleira!

TOKUFORCE:”Dia do Tokusatsu,”um dos eventos da internet que ganhou o apoio de vários sites e também não apoiado por outros grandes sites de renome da Tokunet.Nas duas primeiras edições você demonstrou total insatisfação com os temas propostos (Super Sentai e posteriormente Godizilla),por não ser condizente com a data comemorativa do lagartão. Qual a sua verdadeira visão sobre esse evento?

ALBERTO HUNTER: É igual ao Natal, você comemora a chegada de um cara que traz presentes com uma ceia e mais presentes com um pinheiro de plástico... Ou se lembra que é o aniversário de uma certa personagem de saúde frágil e que coleciona bichos de pelúcia em forma de bolinhos de carne com olhos que já saíram de linha. E o aniversariante lá, na cruz, passou batido por muitas vezes. Comentários sem um pingo de teor religioso á parte, no primeiro ano de evento, tivmos uma quantidade de postagens de fotos com a tag do supracitado dia... Mas o que foi que eu vi. E, no segundo, apesar do “esforço” do grupo “criador” da data em celebrar o sexagenário do Rei dos monstros, francamente, a coisa toda “pisou na bola” ao mostrar por diversas vezes não o “clássico” monstro japonês, mas o “remake” da Legendary... e mais uma vez não temos visto algo grandemente relevante sobre o Godzilla, que juntamente com outros Kaijuus e Ultras, são “escanteados” frente a Super Sentai, Kamen Rider e um ou outro other hero mais “cabeça, como Garo.(suspiro)

Do meu ponto de vista, não passa de uma “data de propaganda barata” pra dizer “#diadotokusatsu”...
E ninguém pra lembrar que Godzilla fará 61 anos como um todo quando chegar no 3º ano do “evento”... Bem isso.
TOKUFORCE:Defina um Rider,um membro Sentai, um Ultra, e um metal hero que tenha a ver com a sua personalidade. E diga o porque da sua escolha.

ALBERTO HUNTER: Pronto, agora me quebraram no meio..( risos)
Dentre os Kamen Riders, eu diria que o Joji Yuki/Riderman seria o mais próximo, sendo ele bem menos ciborgue do que os demais, mas provou ser mais do que sua “fraqueza humana” demonstrava. Dentre os membros de Super Sentai, não seria surpresa escolher algum membro menos ligado a equipe mais sisudo e fechado. Pensei em dizer Gai/Black Condor de Jetman, mas meu “caráter fechado” me deixa visualmente mais próximo de Mikoto/Abarekiller de Abaranger. Considerando minha função no Fansub San Days como um professor rígido, não seria espanto dizer que Dan Moroboshi/Ultraseven em sua participação em ultraman Leo seria um ultra da minha escolha. Já metal hero... não dava para escolher Stormin ou o Benin Lagarto de Jiraiya? Ok, eles não são “Metal Heroes” por si, mas a visão de anti- herói de Stormin e a busca da perfeição de Lagarto(Das espadas que colecionava no caso dele, dos colecionáveis que adquiro no meu caso) são mais adequadas. Eu imagino que outras pessoas diriam que eu seria o cientista não creditado que fez a tecnologia usada pelos tantos Metal Heroes pelo que mexo em computadores, entretanto.(risos)

TOKUFORCE: Deixe sua mensagem para o BLOG TOKUFORCE.

ALBERTO HUNTER: Bem, acho que já disse isso em algum momento do passado, mas dos poucos grupos de tokusatsu que conheço, mas dos tokufãs com quem mantenho contato, o Admilton é o que mais vejo como um dos mais otimistas, e isso se reflete no Toku Force. O que direi agora é fruto da experiência dos maus momentos que passei nessa “ vida de fã pra fã” e que me deixou desapontado com o tempo, mas esse é o meu caso, não necessariamente será o de outros. Mesmo assim, que esse otimismo do grupo dure e o mantenha firme em momentos difíceis, que com certeza serão poucos e talvez imperceptíveis, se assim prosseguirem. Ou simplificando num texto que li num episódio de um anime, “ a parada é dura mas manda ver.” Ok a tradução “menos livre” seria “Você vai passar por muita coisa difícil, mas faça seu melhor”, caso vejam o episódio por aí, mas é nisso que me resultou em ser um chato... além de ser chato (risos)

Gostaram da segunda parte da entrevista? O Blog TOKUFORCE agradece ao Alberto Hunter pela grande contribuição e confiança remetida a nossa mídia, em especial a Sessão Papo de Tokufã. E não se esqueça de deixar um comentário pra gente caro leitor!