quinta-feira, 9 de julho de 2015

Especial : Kikaider - A Trajetória de um dos heróis mais cultuados e influêntes do mestre Shotaro Ishinomori!

Saudações amigos e parceiros do Blog Toku Force! 
Espero que todos estejam bem! 
No mês passado, o Blog passou por uma fase muito boa, tivemos matérias seguidas, e todas tiveram um grande sucesso. Sucesso esse, que se deve ao nosso trabalho, e principalmente pela participação de todos vocês que nos seguem, curtem e compartilham o nosso trabalho.
Hoje, apresento um novo review, de uma série que terminei de assistir recentemente, e que me surpreendeu em vários aspectos. Como sei que muitos ainda não assistiram este clássico, resolvi fazer essa matéria, que irá contar um pouco sobre a obra, de forma que possa apresentá-la e incentivar á vocês assistirem, mas claro sem ''spoilers'', e sem estragar a surpresa! ficaram curiosos? Então, vão descendo a barrinha e boa leitura!

História e apresentando o universo de Kikaider.

Shotaro ishinomori, foi um dos maiores mangakás que o Japão conheceu, ao lado de Osamu Tezuka, considerado o principal criador das histórias em quadrinhos japonesas. Podemos dizer que, Ishinomori, de fato, foi muito influenciado por Tezuka, tanto em suas histórias, quanto em seus traços. Porém ao longo de sua carreira, ele passou á desenvolver o seu próprio jeito de desenhar mangá, e as suas histórias, geralmente de ficção cientifica, caiu rapidamente no gosto do grande e exigente público Japonês.  Após Ishinomori ganhar fama e status, graças ao seu primeiro mangá de sucesso, Cyborg 009, ele passou á utilizar certos elementos que passariam á ser utilizados com frequência em suas obras, se tornando peças fundamentais para o desenvolvimento de suas histórias. O autor, tinha sempre um certo "padrão" para escrever e desenhar. 

Por exemplo, em quase todas as suas obras, ele utilizava muito drama, normalmente envolvendo um personagem solitário, que perde sua familia, se transforma em um tipo de androide ou humanóide por uma organização secreta, depois se volta contra ela, e assim faz a sua vingança. Essa foi a premissa utilizada em diversas obras do autor, principalmente com as séries Kamen Rider. Porém no ano de 1972, ele criaria á série que talvez usaria de todos esses elementos da melhor forma possível, passando á influenciar futuras obras, não só do próprio autor, mas de diversos outros universos. 

A primeira versão do herói Kikaider

Jinzou Ningen Kikaida (Humano Artificial Kikaider), conhecido por muitos apenas como Andróide Kikaider, estreou no Japão no dia 8 de Julho de 1972 na famosa TV Net e atual Asahi. O seu mangá, foi publicado pela Shonen Sunday, ao mesmo tempo que o Tokusatsu era exibido na TV. Para criar o herói Kikaider, Ishinomori usou como base,  famosas histórias clássicas, e uma delas foi Tetsuwam Atom (Astro Boy), uma das obras mais conhecidas de seu "sensei" Osamu tezuka. 
Outras inspirações, vieram de contos clássicos como Pinóquio e Frankstein. Esta portanto, não foi a primeira vez que o autor se inspirou em uma história clássica para criar um personagem, já que em 1973, ele usou o livro "Eu, Robô" de Isaac Asimov, que mistura romance e ficção ciêntifica,  para criar a série Robot Keiji K.


Antes de se tranformar no herói Kikaider,
 Jiro se aprensenta com seu violão
A história nos apresenta Den Komyoji, um famoso e respeitado cientista especializado em robótica, que passa a se envolver em uma minuciosa pesquisa para criar um androide, capaz de assumir uma aparência semelhante á de um humano. 
Komyoji, perdeu a sua mulher, quando seus 2 filhos ainda eram crianças, sendo a mais velha Mitsuko, e o ainda bebê Masaru. Pouco tempo depois, Komyoji, tenta abandonar a pesquisa para poder dar mais atenção aos seus filhos, mas conhece Gill, outro especialista em robótica que se diz muito interessado em sua pesquisa. 

Ele passa á trabalhar para Gill inocentemente, constrúindo poderosas máquinas e robôs com muita inteligência e capacidades físicas. Porém com o tempo, descobre que tudo não passa de um plano malígno arquitetado pelo próprio Giil, e que ele só está sendo usado para ajudar nesta conspiração, que envolve uma organização secreta denominada DARK. 


Komyoji então, ao invés de continuar contribuíndo com os planos de Dark, passa a desenvolver secretamente a sua pesquisa que havia começado, e constrói um andróide com aparência humana, possuindo grande força e capacidade mental. Além disso, ele cria um circuito de consciência, para que ele não perca o controle e saiba diferenciar os humanos das máquinas. Em outras palavras, o circuito de consciência, nada mais é que o coração e o cerébro do robô. 



Jiro e os filhos de Komyoji, Mitsuko e Masaru
O Robô passa a se chamar Jiro, e em sua forma humana, tem aparência de um simpatico jovem que carrega um violão em suas costas. Mas quando transformado assumi a forma de Kikaider, um poderoso andróide, com muitos poderes e uma força extraordinária. 

Com a ajuda de sua filha Mitsuko, Komyoji conseque manter a existência de Jiro em segredo de Dark, mas após um ataque do robô monstro Gray Say King á cidade, ele se vê obrigado á tirar Jiro da base, para que ele pudesse proteger a cidade dos ataques de Dark. Infelizmente Gill toma conhecimento de tudo e tentar impedir mandando um grupo de robôs para ataca-los, devido a luta de Jiro, a base secreta pega fogo e somente Jiro e Mistsuko conseguem sair, e Komyoji é dado como desaparecido.



O poderoso e maligno ciêntista Gill
Jiro passa a viver agora com Mitsuko e Masaru para combater os monstros de Dark, e buscar pistas do paradeiro de Komyoji. Masaru, sendo ainda uma criança, passa a ver Jiro com um verdadeiro irmão e se apega muito á ele, principalmente quando ele começa a despertar sentimentos humanos. 

Mitsuko, por sua vez passa a despertar um sentimento de amor por Jiro, e isso vai se desenvolvendo cada vez mas durante á série.  
Mas a luta não seria fácil, e Gill descobre uma maneira de parar Kikaider, usando sua flauta que emite uma poderosa onda sonora, que atinge diretamente o circuito de consciência de Jiro, fazendo com que ele perca o controle e não consiga se transformar, correndo o risco de atacar quem quer que esteja á sua volta. 

Na verdade, o circuito ainda não está completo, pois Komyoji ainda não o havia concluido 100%, porém, ele deixou essa tarefa para sua filha Mitsuko, que precisa encontrar o projeto, que contém toda a pesquisa de seu Pai. 
Consertando o circuito, Jiro ficaria ainda mais próximo de ser um humano praticamente perfeito, e não seria mais atingido pela flauta de Gill. Mas Jiro se recusa ser consertado, e diz que o que faz ele parecer um humano, é exatamente á sua imperfeição.

Para que ele possa se transformar então, é preciso que algo emita um outro som para drenar a onda sonora de Gill, e Mitsuko e Masaru, sempre estão por perto para salvar Jiro. Vendo que seus planos contra Kikaider não estavam dando certo, Gill resolve utilizar a sua "arma secreta", e desperta um robô, considerado irmão mais novo de Jiro, por também ter sido criado por Komyoji, quando ainda estava sendo manipulado por Dark. Trata-se de Saburo, conhecido como Hakaider, um poderoso e cruel robô que foi desenvolvido com um único próposito: destruir Kikaider.

Com a chegada de Hakaider, as coisas passam á ficar dificeis, pois a sua força é brutal, e chega á ser muitas vezes muito maior que força de Kikader.
Hakaider, usa uma arma poderosa e diferente de Kikaider, não usa um circuito de consciência. Mas o pior, ainda estava por vir, quando um grande segredo de Hakaider é revelado, algo que poderia ser crucial e decisivo para o desfecho da história... 

Por onde andara o Dr. Komyoji, qual a verdadeira idêntidade de Giil e qual será esse mistério que envolve o vilão Hakaider? Bom, isso continuará sendo um segredo, e deixo para vocês mesmos descobrirem assistindo á série! 

A Chegada de Kikaider 01

Devido ao sucesso da primeira adaptação do mangá para a Tv, a Toei resolve produzir uma sequência da série, e estreou logo após o termino da primeira série de Kikaider, mais precisamente no dia 12 de maio de 1973 e contou com 46 episódios. Kikaider 01, trouxe uma história totalmente nova, com novos personagens, porém mantendo a essencia da obra de Ishinomori. 

Nesta série, novamente temos Hakaider como a principal ameaça, que retorna mais forte, e agora auxiliado por um time. O que ninguém sabia, é que ele havia sobrevivido á luta decisiva que teve com Kikaider anteriormente, e desta vez cria um grupo de assistêntes para auxilia-lo em seus planos. São eles: Red Hakaider, Blue Hakaider e Silver Hakaider, cada um possuí uma habilidade diferente. 

O poderoso Time Hakaider
Komyoji no passado, havia construído um andróide "reserva" , e o deixou selado, para que quando o Japão estivesse ameaçado, e Jiro não pudesse agir, ele fosse despertado (Komyoji era ligeiro Rs). Seu nome é Ichiro, e assim como Kikaider, possui um circuito de consciência, e pode assumir a forma de humano e máquina. Ele se apresenta com um saxofone, e em sua entrada se diz ser o herói da justiça Kikaider 01. Pressentindo o perigo eminente, ele desperta e corre atrás de Hakaider para enfrentá-lo e descobre o seu real propósito. 

Logo, ele descobre que Hakaider, estava atrás de um garoto chamado Akira, que esconde um segredo muito importante, e está sendo alvo de uma conspiração maligna muito poderosa. Descobre-se também, que quem está por trás de tudo isso, não é apenas Hakaider,e sim a organização Shadow, liderada pelo misterioso Big Shadow que continua o desejo de destruíção de Dark e do professor Gill. Ambos foram supostamente destruidos por Kikaider, na série anterior.

Bijinda e Waruda, dois importantes personagens da trama
Jiro, retorna para ajudar seu irmão Ichiro nas lutas, e novos personagens são inseridos ao longo dos episódios. São andróides construídos por Shadow, com o propósito de destruição, mas que depois, passam á despertar sentimentos humanos, como amor e compaixão. A primeira á aparecer é Mari, uma garota andróide conhecida como Bijinda. Bijinda foi cruelmente projetada para destruir Ichiro e Jiro, mas aprende com Ichiro, a importancia e o valor que tem a humanidade, quando uma vez, foi salva por ele. 

Em seguida, temos Waruda (Waruder, no original), ele possuí uma força muito superior á todos os andróides, e deixa a organização Shadow, por que odeia receber ordens, se tornando um andarilho solitário. Isso muda, quando ele conhece Bijinda e Kikaider 01, ele vê o quanto 01 é forte e o tem como rival, querendo enfrentá-lo á todo custo, além de começar á desenvolver um sentimento de amor por Bijinda. O desfecho final da série surpreende e emociona, podendo ser considerado um dos melhores finais que uma série teve nos anos 70.

Produção e Sucesso

Se existe um ponto negativo nas séries de Kikaider, sem dúvidas é a falta de recursos e o baixo orçamento, que foi o principal desafio da Toei para a produção da série. Vale lembrar, que este problema aconteceu não só com Kikaider, mas também com Kamen Rider, e muitas outras séries da década de 70. Esses problemas porém, não atrapalharam em nada no sucesso da série. Kikaider disputou audiência com diversas séries que eram exibidas á exaustão, tanto da Toei como de outras produtoras, como a Tsuburaya e a lendária P-Productions. Mesmo com tantos concorrêntes, as séries de Kikaider, se destacaram e alcançaram altos índices de audiência.  

O figurido da série, apesar de ser fiel ao mangá, não foi um dos melhores, tanto que o visual de Kikaider, é classificado como "feio" por alguns fãs. É notável uma boa evolução na parte visual da série, no decorrer dos episódios, e em Kikaider 01 a Toei conseguiu obter um investimento maior, devido ao sucesso da primeira série.

Mesmo com alguns problemas tecnicos, podemos dizer que a  Toei, soube driblar a falta de recursos com maestria, e conseguiu introduzir persongens muito carísmaticos, e cenas de ação muito bem desenvolvidas. O destaque da produção de Kikaider, fica para as cenas de luta e ação, que foram todas interpretadas pelo JAC (Japan Action Club), famoso grupo de dublês, conhecido por participar de diversas séries da Toei.


Cenas dos bastidores da série Kikaider, na primeira imagem, 
temos Shotaro Ishinomori ao lado do herói.


Mas, o fator principal para a popularidade da série no Japão, sem dúvidas, fica por conta do enredo, personagens, e claro do elenco principal. Mitsuko e Masaru, por exemplo estão á todo momento, tentando convencer Jiro, para que ele seja consertado, e buscando por pistas do seu Pai Komyoji. Com isso, vamos descobrindo suas personalidades ao longo da série, assim como os seus defeitos e qualidades. 

Aliás, a construição dos personagens, é algo incrível na série...As partes do humor aqui, ficam por conta de Hattori Hanpei, um cara atrapalhado e desengonçado, que está sempre se metendo em encrenca, mas que mesmo assim, acaba por ajudar os dois irmãos, quando estão em perigo. Jiro por não ser um humano completo, no ínicio da série se mostra tímido, e tudo que existe ao seu redor ainda é uma novidade, mostrando assim, o seu lado humano, assim como o seu crescimento, e como ele passa a se adaptar ao nosso mundo, descobrindo a importância e valor dos humanos.


Ichiro Kikaider 01

Em Kikaider 01, temos como protagonista Ichiro, que diferente de Jiro, parece já ter se adaptado ao mundo e as pessoas, e mostra um lado mais protetor e heróico. Também possuí uma personalidade totalmente inversa de seu irmão Jiro. Ichiro é expontaneo, bem humorado, e está sempre pronúnciando falas heróicas. Na série, ele foi interpretado por Shunsuke Ikeda, ator que já era conhecido no Japão, por ter participado de diversas séries e filmes, além de ter marcado presença da série O Regresso de Ultraman, onde interpretou Takeshi Minami. 

Quem interpretou Jiro na série, foi o ator Ban Daisuke, que já participou de outras séries famosas da Toei. Depois de Kikaider, ele fez Inazuman e Inazuman Flash, série também de Ishinomori. E em 1979, interpretou o segundo Battle Cossack, na série Battle Fever J, além de participar de séries como Ninja Captor e Gridman, entre outras pequenas participações.


Ban daisuke e os personagens mais famosos que ele já interpretou

Ban cresceu em Tóquio, e nasceu no dia 5 de Maio de 1947. Ele ao contrário de muitos atores, não precisou de testes para ganhar o papel na série, sua foto foi enviada junto com as fotos de muitos outros candidatos para a Toei, e quando os produtores olharam a foto e viram Ban, perceberam que ele era único, e se encaixava perfeitamente para o papel de Jiro.  O ator não é conhecido e adorado apenas no Japão, mas também no Havaí, onde a série faz um enorme sucesso.


Para se ter uma ideia, do tamanho do sucesso de Kikaider no Havaí, é realizado um evento chamado "Kikaider Generation" desde 2001, e no dia 11 de Abril de 2002, foi 
proclamado o "Kikaider generation's Day" ou seja, 11 de Abril, passou á ser o dia do Kikaider no Havaí, portanto sempre nessa data, é realizado um evento, onde milhares de fãs se reunem com os atores, e "suit actors", além de ter uma variedade de produtos com o nome da série. Como por exemplo, Camisetas, dvds, action figures  entre outros produtos.


Os atores Ban Daisuke e Shunsuke Ikeda , sempre participam dos eventos, onde são tratados como como verdadeiros heróis por crianças, jovens e adultos fãs de Kikaider, por isso o nome "Geração Kikaider", pois é nítido que a série tem sido passada de geração em geração, sendo essa atual, a terceira geração á assistir a série. 

Abaixo algumas fotos dos eventos:

Ban Daisuke e Ikeda Shunsuke recebendo o documento de proclamação do dia do Kikaider no Havaí.



Voltando a falar da parte da produção da série, o visual do herói foi muito fiel ao mangá, assim como os veículos. Vamos conhecer um pouco dos aspectos dos persongens e seus respectivos veículos.



Toda a parte elétrica do corpo de Kikaider, fica no seu lado esquerdo, onde também é localizado o seu circuito de consciência. No caso, o circuito substitui o coração e as partes divididas entre azul e vermelho, são para diferenciar suas funções. Em cada lado de seu corpo existem 2 botões que permite que ele se transforme. Os seus olhos possuem uma ultra visão, permitindo que ele enxergue objetos e coisas que estejam fora do seu alcance.
O seu ataque finalizador é o Denji End. Kikaider salta e solta um ataque explosivo capaz de desintegrar os monstros e andróides criados por Dark. 

 O seu veículo Side Machine, é baseado no modelo GT500 Mach III da Kawasaki, assim como todos os outros veículos da série, que também utilizaram modelos bem "retrôs" da Kawasaki. O Side machine, foi uma máquina criada por Komyoji, com o objetivo de transportar Jiro, e também que outras pessoas pudessem ser salvas com ela, já que ela possuí 2 lugares. Ela pode também andar sobre a água e voar, atingindo velocidade equivalente á 500 km/h.


Podemos dizer que Hakaider, possuí várias identidades e muitas coisas sobre ele, ainda são desconhecidas. Além de ter uma super força, ele utiliza uma pistola, que consegue dar tiros rápidos e muito prejudiciais á Jiro. 


A moto de Hakaider, é a White Crow e usa um modelo clássico e tradicional da Kawasaki. Ela chega a alcançar 600 Km/h, além de poder soltar misseís, e fazer uma cortina de fumaça, chamada "Escuridão Satânica" e deu um trabalho e tanto para Jiro durante á série. Quando Hakaider monta o time Hakaider, todos os outros usam motos do mesmo modelo e com a mesma capacidade.



O mecanismo de 01, é basicamente o mesmo de Kikaider. Porém, a sua energia é proveniente da luz solar, o que o torna poderoso e ao mesmo tempo vulnerável, se lutar em algum lugar que não tenha energia do sol. Um de seus mais poderosos golpes é 01 Driver.



Kikaider 01, usa a Double Machine, modelo bem semelhante ao Side machine e foi projetado com o mesmo propósito e com as mesmas funcões, porém com um visual muito mais arrojado.

A Trilha Sonora, o Mangá e outras Adaptações.


A Trilha sonora de Kikaider, pode ser classificada como uma obra de arte, e uma das melhores trilhas de Tokusatsu década de 70. Isso se deve ao fato, por ela ter sido composta e interpretada por especialistas neste quesito. A faixa de abertura da série, Go Go Kikaider,  assim como o seu encerramento Tatakae! Jinzou ningen Kikaider , foram interpretadas por Yuuki Hide. As outras músicas, contaram com as inconfundíveis vozes de Masato Shimon e Ichiro Mizuki, que canta as músicas tema de Hakaider, Saburo no themeHakaider no Uta. O Ator Ban Daisuke, também participou da trilha sonora cantando a canção Haru Kureba.

Abertura da série, Go Go Kikaider na voz de Yuuki Hide

Assim como Kikaider, a trilha sonora de 01, também contou com um excelente repertório, e tanto a abertura quanto o encerramento 01 Rock, foram interpretados por Masato Shimon.


O Mangá e o Animê


Como já foi comentado no ínicio da matéria, Shotaro Ishinomori, escreveu e desenhou as páginas do mangá, enquanto a série ainda era exibida na TV. Porém, engana-se quem pensa que os dois possuem exatamente a mesma história. Na verdade, o mangá é bem mais detalhado, com uma trama mais envolvente,  muito mais complexa e dramática. 

Os traços detalhados de Ishinomori, impressiona!

O traço do Ishinomori, apesar de seguir o padrão da época, chega a parecer bem simples na primeira visão, mas observando com cuidado, percebe-se o quanto o autor se preocupou em pequenos detalhes, fazendo o possível para parecer próximo da realidade. Os desenhos dos circuitos, veículos, robôs, assim como a transformação de Jiro para Kikaider, foram muito bem retratados, nos dando uma magnifíca sensação de surrealismo.

Além do mangá original de Ishinomori, foi lançado no ano 2000, um remake do mangá clássico, desta vez com arte de MEIMU. Apesar do mangaká, não ser tão famoso, ele possui um traço muito realista, muito próximo inclusive das HQs Americanas. O Mangá se chama Kikaider code 02, contou com 7 volumes encadernados e segue basicamente a mesma história, porém envolvendo todos os personagens de uma só vez, e focando bastante na filha de Komyoji, Mitsuko.

Kikaider na arte de MEIMU.

No mesmo ano do lançamento deste mangá, exatamente no dia 16 de Outubro, estreou na tv japonesa, a primeira versão em animê de Kikaider, podendo ser considerado também um remake da série clássica. A animação, foi produzida pela Sony animation e o Studio OX/Radix e contou com 13 episódios. Depois foram produzidos mais 4 ovas, contando a história de 01 e um especial crossover, entre Kikaider e Inazuman, outra série do mestre Ishinomori, ambas as animações sairam em 2003.


A história do animê, talvez, tenha sido a que mais se aproximou da história original do mangá, pois aqui, é retratado com muito mais intensidade, o drama, e a construção dos personagens foi algo muito mais extenso. Aqui temos um Jiro que ainda está luta para entender o seu objetivo e poder conviver pacificamente entre os humanos, e é nessa parte, onde fica o drama, pois inicialmente, ele é rejeitado pelas pessoas ao seu redor, e quando começa a despertar seus sentimentos, passa a sentir medo e insegurança, que é recuperada por Mitsuko, aliás, o romance entre os 2 também teve um ótimo desenvolvimento. 

O Anime, assim como o mangá inclui alguns novos personagens

O anime teve direção de Tensai Okamura, e a animação da Sony foi impecável, mantendo o traço retrô do mangá, e maravilhosos efeitos, sem CG,  e com um jeito bem clássico de fazer animação. Na minha opinião, Kikaider The Animation, pode muito bem ganhar um espaço entre as melhores e mais bem produzidas animações de todos os tempos.


Os Filmes 

Após o termino da primeira série de Kikaider na TV, ocorreu um pequeno filme da série, como já é de costume acontecer com as séries da Toei, normalmente esses pequenos filmes possuem duração de um episódio comum, e normalmente não apresentam algo novo. O filme de Kikaider saiu em 1973, com o nome de Tobidasu Jinzô ningen Kikaida!, e não mostra nada além de Kikaider enfrentandos os monstros e andróides de Dark.
Demorou anos, para que saísse uma nova produção cinematográfica de Kikaider. Até que em 1995, foi lançado um novo filme, desta vez, não envolvendo o herói Kikaider, mas sim o seu arqui-inimigo, Hakaider.


Mechanical Violator Hakaider, é o nome do filme estrelado por Hakaider, trazendo uma produção diferente do convencional, e diferente do que a Toei explorou na série clássica. Aqui temos um Tokusatsu, totalmente adulto com uma história sombria, e diversas cenas de violência, tensão e muito sangue. 

A direção do filme ficou por conta de Keita Amemiya, que já esteve envolvido em diversas produções de Toku, e criador de séries como Garo e Shingeki Gouraigan, então o resultado não poderia ser diferente. O filme traz um cenário pós apocaliptico, na cidade de Jesus Town, o governante ditador Gulfej lidera o povo da cidade, contra suas próprias vontades, Gulfej é protegido por Michael, um andróide que segue todas as suas ordens e desejos.


A idêntidade de Hakaider, também é diferente da série de TV, seu nome aqui é Ryu, e em meio ao desespero da população, ele aparece como uma espécie de salvador, ou a última esperança, e mesmo com seu instinto sombrio e sanguinário, se une ao povo para libertá-los do regime imposto por Gulfej.

Ryu (Hakaider) e Kaoru

 O filme passa a ser muito interessante, pela temática adulta, e a nova roupagem que o personagem Hakaider ganhou, além de introduzir um novo personagem na história, Michael, que convenhamos, tem mais aparência de herói do que Hakaider, que adotou ainda mais pinta de vilão do que o original. Talvez, Hakaider aqui não seja mesmo um herói, quem sabe um anti-herói, ou apenas um andróide esquecido que anda matando, apenas por diversão. 

Herói ou vilão, o filme Mechanical Violator Hakaider, é uma super produção da Toei, e pode ser diferente de tudo que você já viu no universo Tokusatsu, portanto, super recomendo esse filme, mas antes de assistí-lo não esqueça de tirar as crianças da sala... Rs

O REBOOT

Em 2014, quando Kikaider já havia alcançado seus mais de 40 de existência, a Toei resolve entrar na onda dos reboots e enfim, reviver um dos heróis mais famosos de  Ishinomori, produzindo assim um filme, que recontaria toda a história do herói, de uma forma que o mesmo pudesse ser apresentado a nova geração. O filme assim que foi anúnciado, passou á ser um dos filmes mais esperados do ano. A produção do filme, assim como o seu roteiro, escrito por Ten Shimoyama, levaram um bom tempo para serem conclúidos, e estima-se que toda a produção, levou cerca de 1 ano para ser finalizada.

Uma das cenas mais emocionantes, é a aparição do ator Ban Daisuke.

O resultado final foi satisfatório e o filme contou com um ótimo elenco, e Jingi Irie, ator de 22 anos, foi escalado para ser o novo Jiro/Kikaider, temos também a participação de Ban Daisuke interpretando Maeno Kyujiro, que aparece em um certo momento do filme, ajudando e passando uma mensagem encorajadora para Jiro.
Se tratando de um reboot, a história do filme, trouxe um pequeno resumo da história original, porém com mudanças que foram necessárias, para um bom desenvolvimento do filme, já que a produção contou com um tempo de duração de em média 1h e 10 min, o que é pouco para que a história fosse contada com mais detalhes.

As cenas de lutas, é um dos pontos fortes do filme.

Um dos pontos fortes do filme é a parte visual, e o figurino de primeira qualidade. O visual de Kikaider ganhou um design moderno e repleto de detalhes, apagando de vez a imagem de "visual feio" que muitos fãs ainda tinham da primeira versão do herói em 1972. 

Hakaider, também ganhou um novo visual, que por sua vez não agradou alguns fãs, e o fato do filme ter sido um tanto quanto "corrido", pouco foi revelado sobre ele. Mas as maravilhosas cenas de luta com Kikaider, compensaram e muito esse pequeno furo no roteiro, como diz o ditado, as qualidades cobrem os defeitos. 
Mari, também tem uma participação no filme, porém, não aparece em sua forma de Bijinda, sua personalidade também foi mudada, e desta vez, o seu objetivo é o de apenas enfrentar Kikaider,  rendendo novamente excelentes cenas de luta e ação.


Um outro ponto positivo do filme, é o desenvolvimento de Mitsuko e Masaru, que tem um papel ainda mais importante na história, e a forma como o Jiro é apresentado á eles, foi algo muito bem abordado. No ínicio, Jiro aparece programado para protegê-los, e os dois o vê como um incômodo. Com o decorrer do filme, eles passam a entender o real objetivo da pesquisa de seu Pai, e formam um laço de amor e amizade com Jiro.

Final emocionante

Como não poderia ser diferente, o filme acaba sendo bem dramático, apesar de ter algumas cenas bem humoradas, típicas do humor Japonês. O desfecho final, divide diversas opiniões, com diversas criticas. Alguns fãs acharam o filme grandioso, outros fãs mais exigentes, por sua vez, acharam que ficou devendo muito em roteiro. Outro ponto negativo, considerado por alguns fãs, foi o fato de alguns conceitos importantes não terem sido aproveitados, como a organização Dark e o Side Machine.

Na minha opinião, ainda que o roteiro talvez não tenha sido como esperavámos, o filme vale a pena pelos excelentes efeitos especiais, cenas de ação e figurino que como já disse, cobre qualquer defeito de roteiro e enredo. 

Para quem assistiu á série clássica, com certeza irá gostar do reboot, é lindo ver a evolução do personagem e com efeitos modernos, para uma série que na época contou com um baixo orçamento, sem dúvidas é muito compensador. E o final, para os mais emocionais é de encher os olhos, diga-se de passagem.

O Encontro com Gaim

Com o intuito de promover o filme, a Toei com uma bela jogada de Marketing, resolve fazer um crossover entre Kikaider e Kamen Rider Gaim, série que estava em exibição quando o filme estreou nos cinemas. O crossover aconteceu no episódio 30 da série de Gaim, e o episódio envolve Kikaider e Gaim, em lutas contra os monstros Invess, formando assim uma amizade entre os dois heróis. Além do episódio, os trailers do filme eram exibidos constantemente nos finais dos episódios de Gaim.

Curiosidades

Significado dos nomes:

O nome Kikaider, é uma junção das palavras Kikai = Máquina,  e Rider = Motoqueiro, ou em algumas traduções, Cavaleiro.

O nome Hakaider, também usa o mesmo anagrama, sendo que Hakai, em uma tradução literária, significa Destruição.



Hakaider já serviu de inspiração para a criação de Darth Vader


 George Lucas, autor da franquia Star Wars, ao criar o vilão Darth Vader, teve como uma de suas inspirações, Hakaider, tanto o seu visual, quanto em sua pose como vilão. Anos depois, Darth Vader, inspiraria a Toei, á criar o vilão Satan Goss, em Jaspion.



A série Metalder foi uma homenagem á Kikaider.


Em 1987, a Toei lançou a série Choujinki Metalder, e o que era para ter apenas algumas influências, acabou servindo como uma verdadeira homenagem ao clássico de Ishinomori. Começando pelo visual do herói, a história de Metalder, também é bem semelhante á história de Kikaider, envolvendo drama, andróides, monstros, e uma organização malígna que aqui se chama Neroz.


A máquina de Metalder, também é totalmente inspirado na Side Machine de Kikaider, e levou o nome de Side Phantom. O Vilão Hakaider, também ganhou a sua "versão" Metal Hero, é o personagem Top Gunder ( seu nome original é Boukon Topganda, e Boukon, pode ser traduzido como espiríto violento). Top gunder é um atirador profissional e se inicia como um vilão, fazendo referência também a principal arma de Hakaider na série clássica. Porém diferente da série de Kikaider, Topgunder e Metalder, posteriomente se tornam aliados.

Top Gunder, o atirador da série Metalder

A série, assim como Kikaider, tem uma temática mais adulta, contendo drama e melancolia, talvez tenha sido por esse motivo, que ela não conseguiu obter tanta repercussão no Japão, já que foi lançada em uma época diferente da de Kikaider. Mesmo não tendo um reconhecimento maior, Metalder, é uma excelente série, que além de possuír otimos personagens, enredo e roteiros bem construídos, homenageia um dos maiores clássicos do Tokusatsu, fazendo diversas referências á série.

Aparição memorável 
Na imagem, o1, Kikaider, Zubat e Inazuman.

Em 2011, em comemoração aos 40 anos da franquia Kamen Rider, a Toei lançou o filme OOO, Den-o, All Riders, Lets Go Kamen Riders! filme que trás de volta, todos os Kamen Riders da franquia, além de trazer de volta, outros heróis criados por Ishinomori, como uma homenagem. E claro, Kikaider não poderia estar de fora, e marca presença no filme, ao lado de Kikaider 01, Inazuman e Zubat.

Produtos 
Relógios de pulso da série Kikaider, bonitos não?

No Japão, a franquia alcançou um grande sucesso, e por conta disso, diversos produtos foram lançados ao longo dos anos, como Brinquedos, CD's, DVD's, Roupas, Relógios e etc, tudo com a marca Kikaider, gerando grande lucro e bons rendimentos para a Toei e Bandai, principais detentoras dos direitos da série. 

As novidades para esse ano, são as figuras da linha SH Figuarts, um dos modelos de action figures mais famosos do Japão atualmente. Além disso, recentemente á série foi lançada oficialmente em DVD, lá no Havaí, e como sempre foi um sucesso de vendas.
Kikaider nas linhas SH Figuarts e  S.I.C da Bandai

Aqui no Brasil, infelizmente nenhuma emissora ou distribuidora chegou a se interessar pela série, coisa que entendemos, até por que a mesma nunca chegou á ser exibida em outros países fora o Japão e o Havaí. Mas, graças aos fansubbers Brasileiros, é possível encontrar todas as séries e filmes com legendas em Português. 

E se você, assim como eu, é colecionador e não abre mão de ter as suas séries preferidas em DVD, com boa qualidade e formato de box para enfeitar a estante, nosso parceiro TVS - Tokusatsu Video Store, já lançou todas as séries e filmes, em versão digital decorado com lindos boxes, e em versão Lightscribe. Ou seja se você gostou da série, esse clássico, é simplesmente indispensável no seu acervo de séries de Tokusatsus.
Acessem: www.tokuvs.com


Conclusão 

Kikaider veio em uma época em que os Tokusatsus estavam em alta, e séries eram lançadas uma atrás da outra. Porém, ouve as que foram sucesso, outras que foram fracasso, algumas passaram batidas pelo público, já outras se tornando franquias bem sucedidas, se tornando verdadeiros cults, como foi o caso dos Kyodai Heroes, Kamen Rider, Super Sentais e Ultraman que eram os principais sucessos na década de 70 e que são produzidas até hoje.

Kikaider, seguiu o embalo destas produções, e alcançou o seu sucesso e reconhecimento dentro da cultura pop Japonesa. Mérito que se deve á mente criativa que estava por trás de toda a criação do herói. Shotaro Ishinomori, soube criar uma série com um enredo muito interessante, personagens carísmáticos, drama e humor nas medidas certas.

As história, assim como todos os Tokusatsus, nos passa um mensagem muito importante, que a de que, durante nossa vida sempre encontraremos obstáculos e rejeição, seja do mundo ou das pessoas ao nosso redor, muitas vezes, até do seu convívio. Mas, que o importante, é o que você faz para proteger as pessoas que você ama, e o fato de que nada importa a aparência, quando temos um grande coração.
Resumindo, talvez Kikaider não seja aquela série que irá agradar logo de cara, um pouco pelos problemas de produção que eu já citei, e também pelo drama que a série carrega, pode talvez não agradar á todos.

Porém, são séries que valem a pena serem conferidas por se tratar de ser um clássico, com muita importância na cultura japonesa hoje, e para quem é fã de Kamen Riders, e das obras de Ishinomori, com certeza vai agradar e muito, quem já assistiu parte de suas obras, sabe do que estou falando!

Assim, encerro essa matéria sobre esta obra, que ainda tem chances de render ótimas séries, animações e filmes. A Franquia Kikaider esta longe de ser passado, e está mais presente do que imaginamos nos dias atuais. Como deu pra perceber, é algo passado de geração em geração. Espero que todos tenham curtido a matéria, e quem ainda não conhece, possa ver essa matéria com um incentivo para conhecer, e para quem já conhece, que veja como uma homenagem, á esta grande franquia, que tanto cresceu e hoje se tornou um dos mais cultuados Tokusatsus de todos os tempos!
Obrigado e até a próxima!

Ficha Técnica:
Nome Original: Jinzô Ningen Kikaida
N° de Episódios: 43
Data de exibição: De 8 de Julho de 1972 á 5 de Maio de 1973
Emissora: NET (Atual TV Asahi)
Criação: Shotaro Ishinomori



3 comentários:

  1. Venâncio... Que post fantástico!!! Cara, curti muito mesmo... texto completo e que nos prende do começo ao final.

    Nunca assisti Kikaider, a não ser as participações que o personagem teve em 'Lets Go Kamen Riders' e Kamen Rider Gaim, mas me animei bastante pra assistir com seu artigo.

    Mais uma vez, parabéns cara!

    ResponderExcluir
  2. Matéria altamente recomendavél.........................Espetácular.

    ResponderExcluir
  3. Matéria fenomenal mano, estais de parabéns pelo o texto e pelas ótimas imagens e suas respectivas colocações, nem sabia que existia da existência do evento Kikaider Generation, para você ver como o Kikaider é realmente um Tokusatsu incrível. Matéria Show mano, continue assim. Forte Abraço.

    ResponderExcluir