sexta-feira, 29 de novembro de 2013

ESPECIAL: JIRAIYA O INCRÍVEL NINJA


Por: Change Pegasus
Final da década de 80, mais precisamente em 1989, um ano de muitas mudanças para o Brasil em vários sentidos. Na política, Sarney lança o Plano Verão, para tentar controlar a inflação, Fernando Collor e Lula disputavam as eleições presidenciais; nossa sociedade se solidarizava com o trágico acidente aéreo do Voo Varig RG-254 (onde houve 12 mortos e 42 feridos), em plena floresta amazônica; na TV, as novelas “Que Rei Sou Eu?”, “O Salvador da Pátria” e “Sexo dos Anjo” faziam um grande sucesso, Fausto Silva sai da Bandeirantes e vai pra Globo para apresentar o Domingão do Faustão.

Você deve estar se perguntando: “Mas o que isso tem haver com tokusatsu?”. Calma, pequeno gafanhoto! Essa pequena volta história ao passado serve para chegar ao ponto principal, que é poder falar do grande trunfo televisivo que estava nas mãos da nossa extinta Rede Manchete, que exatamente no dia 25 de setembro do mesmo ano, exibe pela primeira vez o herói que seria o maior sucesso do gênero tokusatsu no Brasil, depois de Jaspion e Changeman. Ele é a referência de ninja para a garotada daquela época, o sucessor de Togakuri, o protetor de Pako e detentor da desejada Espada Olímpica! Sim, ele é nada mais, nada menos que: “Jiraya, O Incrível Ninja”.

Mas antes de falar sobre o herói aqui no Brasil, vamos focar primeiro em seu país de origem.


Sekai ninja Sei Jiraya (Guerra Mundial dos ninjas Jiraya), foi lançado em 1988, produzido pela Toei Company, que resolveu quebrar o padrão dos Metal Heroes tradicionais, já que os últimos resultados não estavam dando muito certo.
A temática agora era de uma velha tradição japonesa, os Ninjas. Essa atitude tinha dois fundamentos: Resgatar os valores de sua cultura nos jovens da época (que estavam “ocidentalizados”) e dar uma sacudida na audiência da franquia (lógico), já que seu último lançamento (Metalder) teve que ter seu número de episódios reduzidos graças à baixa audiência de seu público alvo. Tá certo que os uniformes dos ninjas em Jiraya, não eram tão tradicionais quanto à ideia de resgate da cultura, talvez por isso mesmo o termo “Ninjas Modernos” seja bastante usado na série pelo “Velho” Tetsuzam Yamashi (Yamaji no original). E por falar em modernos, a armadura de Jiraya era muita bem bolada, simples e bonita, ficando um pouco mais “agressiva” quando ele colocava suas ombreiras e um visor de batalha (isso graças à batalha contra o ninja “pinguço” Kanin Dragon). Mas não posso falar o mesmo de alguns ninjas-vilões-coloridos e com uniformes um tanto... Exóticos! Mas isso é o de menos.
Na história, Toha Yamashi (Takumi Tsutsui) foi criado por Tetsuzam Yamashi (Masaaki Hatsumi), sucessor da família Togakure, que guarda metade de uma inscrição que revelava o paradeiro de Pako, uma cápsula que guarda uma energia extraordinária, e quem a possuísse a conquistaria.
A outra metade está nas mãos de Oninin Dokussai (Noriaki Kaneda) e a família de Feiticeiros, que querem a todo custo a outra metade da inscrição. Assim começa a batalha, onde Dokussai conta com a ajuda do “Império dos Ninjas” para poder derrotar Jiraya e seus aliados que crescem no decorrer da série, inclusive com vários ninjas do Império mudando de lado e ajudando nosso herói. Toha conta inicialmente com a ajuda de seus irmãos Manabu (Takumi Hashimoto) e Key (Megumi Sekiguti) que também usa uma armadura e torna-se Eminin Emiha, posteriormente recebe a ajuda de outros ninjas, como Yarinin Spyker, Kinin Reiha, Leinin Wild e Jounin Barão Owl. Segundo a Wikipédia, não são certas as informações sobre o sucesso de Jiraya no Japão, já que algumas informações dizem que a série não o obteve, mas que não foi um fracasso, já outras fontes afirmam que houve sim uma ótima aceitação, com uma audiência boa o bastante a ponto dos produtores da Toei tivessem a ideia de que se sucessor, Jiban, fosse um “Polical” Ninja” (Cuma?!). Mas se formos julgar pelo número de episódios da série (50) , pode-se crer que o sucesso foi real, já que as produções da franquia tinham entre 44 e 46 episódios. Sem falar que o personagem Manabu, fez uma participação em Jiban (no episódio 31). Ah, não podemos esquecer que o lado cômico de Jiraya é outro ponto forte da série, onde Toha se envolvia em várias situações engraçadas e até mesmo o cachorro e o pombo da família eram ninjas!

No Brasil, Jiraya é, sem dúvida, uma referência para muitos. Sinônimo de Ninja em nosso país, o herói conquistou de cara a simpatia de muitas crianças e adolescentes. A dublagem (pra variar) mudou alguns nomes de personagens e da espada de Jiraya, que originalmente é chamada de Jikou Shinkuu Ken (Traduzindo fica "espada do vácuo luminoso magnético"), mas que por aqui, ainda bem, ficou conhecida como Espada Olímpica, talvez pegando carona nas Olimpíadas de Seul, que aconteceu quando a série foi produzida. Outra mudança foi no termo Guerra Mundial dos Ninjas para a Ninja Olimpíada, talvez pelo mesmo motivo citado anteriormente.
Após o início da exibição de Jiraya, houve também uma grande corrida da molecada para a prática de artes marciais por aqui, era questão de hora fazer direitinho os jutsus que o herói fazia com as mãos, ajudando assim a prática de vários estilos marciais no Brasil. LP’s foram lançados pela Top Tape (distribuidora no Brasil) e teve até uma tradução da abertura e do encerramento da série muito bem feitas (eu sei que você está cantando a musica agora, em sua cabeça), talvez a melhor de todos os tokusatsus lançados por aqui.
Além de quadrinhos e bonecos (lembrando que o Jiraya tinha como modelo o corpo do ninja branco/negro da coleção do Rambo, mas a armadura e o capacete eram muito bem feitos pela Glasslite).
(Algumas capas de quadrinhos do Jiraiya)
(Revistas publicadas pela Ed.Ebal)
(Até o gibi dos Trapalhões entraram na "Togakuremania")

Um momento de êxtase para os fãs brasileiros foi quando o ator Takumi Tsutsui esteve por aqui em cinco oportunidades, sendo as duas últimas em 2013, participando do Anime Friends (ao lado do cantor Akira Kushida), e no Anime Family,eventos que levaram os fãs à loucura. O ator foi bastante simpático e acessível a todos desde sua chegada ao aeroporto, até a apresentação no evento, uma lembrança memorável que poucos tiveram a oportunidade de presenciar de pertinho.
(Foto: Fanpage Tatisatsu)
Se formos avaliar o personagem, de cara dá para notar uma semelhança com outro super-herói famoso: o Homem-Aranha. Como assim, Pegasus?! Analisem comigo: Toha Yamashi, é carismático, assim como Peter Parker; é órfão e adotado; o cara vive se virando pra arrumar uma grana, fazendo vários “bicos”; ele enfrenta vários tipos de problemas (seja pessoal, pela falta de grana ou contra seus inimigos) e seu pai adotivo praticamente lhe joga uma grande responsabilidade: ser o sucessor do clã Togakure assumindo a identidade de Jiraya (algo como a frase de Tio Ben: “Grandes poderes trazem grandes responsabilidades”). As semelhanças são notáveis.
Se houve ou não essa inspiração da Toei (no Cabeça de Teia) para criar o personagem eu não posso confirmar, mas se realmente existiu DEU CERTO. Jiraya é eterno, uma referência até os dias de hoje e provavelmente por muito mais tempo, ele é e sempre será, no Brasil, a melhor definição da palavra Ninja.

CURIOSIDADES:
- o ator que interpreta o pai do Jiraiya, Masaaki Hatsumi, que é o último mestre ninja real. Na história verdadeira do Japão, depois da restauração Meiji, os ninjas ficaram com serviços cada vez mais escassos e foram tendo menos seguidores. Os clãs ninja acabaram se unificando aos poucos para evitar a extinção, e com Masaaki todos os clãs ninja restantes se unificaram de vez. Atualmente ele viaja pelo mundo divulgando a arte do ninjutsu, e ocasionalmente atua em séries como Jiraiya numa tentativa de fazer os jovens se interessarem novamente pelas artes marciais.
-O ator Takumi Tsutsui não era especialista em artes marciais. Ele foi escolhido para o papel por meio de um teste que reuniu ais de três mil pessoas. Os últimos cinco candidatos eram especialistas em artes marciais, menos Takumi, que foi escolhido assim mesmo.
-O ator Noriaki Kaneda, intérprete do vilão Dokusai, também trabalhou em Jaspion como o dublê do Gigante Guerreiro Daileon, próprio Jaspion e também outros seriados que foram exibidos no Brasil como Metalder, Jiban, Spielvan, etc.
-Em 2009 foi lançado pela Focus Filmes o box com os DVD’s originais de Jiraya mas, para a surpresa e desespero dos fãs, a imagem era a mesma que já circulava em DVD’s “genéricos” por aqui a algum tempo (inclusive com a marca d’água do Toei Channel em cada episódio. Sem falar que as legendas tinham vários erros de português. Frustrante!
-O ator Shouhei Kusaka, que interpretou o ninja Kaminin Oruha (episódios 12, 26 e 45), interpretaria no ano seguinte o Metal Hero que seria o sucessor de Jiraya, o Policial de Aço Jiban.
O seriado japonês "Jiraiya, o incrível ninja" fez sucesso no Brasil entre o final da década de 1980 e durante os anos 90, quando passou na TV brasileira. O programa fazia com que muitas crianças brincassem de imitar os movimentos e lutas exageradas dos episódios. Mais de 20 anos depois de sua estreia no Brasil, "o sucessor de Togakure" - como Jiraiya se apresentava aos inimigos - ainda está nas lembranças de quem tem vinte e tantos anos, inclusive de Takumi Tsutsui. Ele interpretou o jovem Touha Yamaji, que se transformava no habilidoso ninja de roupa vermelha.

ATUALIDADES:"Nunca imaginei que a série fosse fazer sucesso fora do Japão, ainda mais tão longe como no Brasil".
(Fonte:G1)
Conta o ator em entrevista ao G1 , em um hotel em São Paulo. "Os brasileiros são muito apaixonados pois ainda gostam muito de 'Jiraiya' após todos estes anos". De passagem para o evento Anime Friends, no qual se apresenta neste sábado (13) e domingo (14), Tsutsui, 49 anos, diz que se sentia um verdadeiro herói ao vestir a roupa do ninja vermelho: "Me sentia um super-herói de verdade. Ainda mais por todos da equipe me chamarem de Jiraiya quando eu estava vestido".

Armadura apertada
Usar a armadura de Jiraiya, contudo, não era uma tarefa das mais simples para o ator: "Ela não era pesada, mas os movimentos eram limitados. Eu não podia levantar os braços, por exemplo, e ela era muito apertada. Durante um ano eu não podia engordar um grama sequer. Fiquei um ano sem comer muito e sem beber cerveja". Ainda sobre a armadura, Tsutsui contou que não conseguia enxergar direito para as cenas de luta e brinca. "Só conseguia olhar para frente. Caso fosse um ninja de verdade, certamente morreria com um golpe pelas costas, porque era impossível de ver quem atacasse por trás".

O ritmo de gravações para o protagonista da série foi intenso - a série teve 50 episódios. Ir ao banheiro estava entre seus problemas. "Gravávamos em uma pedreira na cidade de Yorii, local em que havia autorização para fazer explosões", recorda. "Quando precisava ir ao banheiro, tinha que pegar um carro, ir até o local... E sempre acompanhado, porque tinha que ter outra pessoa para desmontar a armadura e depois montá-la novamente. Então, eu tentava segurar ao máximo para não ficar pedindo toda hora para ir ao banheiro".

Tsutsui fazia cenas de ação, mas a equipe não permitia que ele se arriscasse para não ter que interromper ou cancelar a série. "Tudo o que eu podia fazer eu fazia. Todas as cenas de luta em que apareciam os olhos no capacete era eu mesmo atuando. Cenas de escalada ou saltos tinha que ser um dublê". Mas as famosas cenas de explosões, quando uma grande bola de fogo aparecia na tela da TV, foram feitas pelo próprio ator. "Passava muito calor ali dentro [da armadura] e eu tinha que fazer de pés descalços. Ou seja, nunca eu estava muito confortável, ou passava muito calor ou muito frio".
Ele explica que não tem a armadura que o tornou famoso, "apenas o kimono".
Por conta de direitos autorais da Toei, empresa que produziu "Jiraiya" e outros seriados de heróis japoneses, Tsutsui não pode "ser" o ninja em eventos públicos.
Mulheres chegaram a pedir para Tsutsui se vestir de Jiraiya em encontros amorosos.
Por conta disso, no Anime Friends, ele não poderá usar a armadura. Entretanto, ele irá cantar músicas da série e representar algumas cenas, além de tirar fotos e dar autógrafos para os fãs. Na época do sucesso, mulheres chegaram a pedir para Tsutsui se vestir de Jiraiya em encontros amorosos, mas a dificuldade de vestir a armadura impediu que as fantasias fossem realizadas.

Sucesso longe do Japão

O ator sabia que o ninja Jiraiya fazia sucesso longe do Japão. "Tenho primos em São Paulo. Eles me contavam que o seriado estava passando na TV aqui e fazia sucesso. Eles gostavam muito. Pediam para mandar fotos e vídeos lá do Japão". Esta é a quarta vez que o ator vem ao país, a terceira para eventos, sendo que na primeira, nos anos 1980, veio a passeio para visitar os primos.

O seriado foi gravado no Japão durante 1 ano, entre 1988 e 1989 e, diferentemente de outros heróis que apareciam na TV na época como Jaspion, Changeman, Jiban e Flashman, por exemplo, Jiraiya não tinha armadura de metal e grande poderes especiais. Para Tsutsui, o fato de ter havido grandes "heróis de metal" e, de repente, aparecer um ninja, chamou a atenção do público. "O diferencial de 'Jiraiya' foi mostrar um ninja em vez de um herói de metal. Acredito, também, que mostrar um lado mais humano e uma história centrada na família, mostrar os irmãos unidos, foi o que permitiu ao seriado fazer sucesso

Depois de 'Jiraiya'

Após ser o ninja, Takumi Tsutsui continuou na carreira de ator e participou de outros filmes, seriados e novelas.

Por muitos anos esteve no elenco dos filmes da série "Tsuribaka Nisshi", que, segundo ele, é muito popular no Japão, fez dublagem de filmes e desenhos dos EUA e atualmente faz novelas de época no país. Estas produções, conta, são histórias da época dos samurais, então ele ainda usa roupas parecidas com as da época de "Jiraiya". Jogos de videogame também tiveram sua participação como dublador, mas ele conta que foram poucos.
Questionado sobre o que mais sente falta da época em que era o ninja, Tsutsui afirma que na época achava ruim mas que, hoje, ele sente falta. "Ou eu passava muito frio ou eu passava muito calor durante as gravações, mas sinto muitas saudades daquele tempo".

Ser reconhecido nas ruas também faz falta. "Eu ficava muito feliz quando ia ao mercado e as crianças me chamavam de Jiraiya ou as mães explicavam para os filhos que eu era o personagem". Hoje, contudo, ele é reconhecido aqui no Brasil por onde passa, principalmente no bairro da Liberdade, na capital paulista, onde há maior número de japoneses e de fãs de mangás, animes e seriados tokusatsu. Na onda de remakes de filmes e seriados, caso "Jiraiya" fosse refeito, Tsutsui diz que adoraria ver novos episódios do herói, mas não gostaria de ser o ninja por conta da idade.
"Hoje, eu gostaria de ser o pai do Jiraiya", brinca.
RIO DE JANEIRO MARCA A ÚLTIMA PASSAGEM NO BRASIL: Em seu blog pessoal o ator Takumi Tsutsui confirma sua última passagem no país em evento
carioca.
"Jiraiya é um dos seriados mais amados no Brasil até hoje"

3 comentários:

  1. Tenho uma recomendação para quem quer relembrar esses anos de ouro.
    Acessem o Site do Tokusatsus Vídeo Store, é o maior acervo de séries Tokusatsus do Brasil e com o melhor preço. Jaspion, Sharivan, Changeman, Flashman, Kamen Rider Black, Kamen Rider Black RX, Cybercops, Lion Man e muito mais.
    Acesse www.tokusatsus.loja2.com.br

    ResponderExcluir
  2. Dem uma olhada nessa meninsa de 4 anos falando de jiraya kkkkk

    o mundo ainda tem jeito, o futuro ainda pode ser salvo kkkk

    https://www.youtube.com/watch?v=fnYCQMXWIMo

    ResponderExcluir
  3. Olhem essa menina dando aula de jiraya

    https://www.youtube.com/watch?v=fnYCQMXWIMo&t=48s

    ResponderExcluir